Noite das meninas em ideias

A festa do pijama é bastante tradicional, principalmente entre as meninas. A tendência, agora, é usá-la para celebrações mais diferenciadas, como o aniversário. A ideia consiste em reunir as amigas mais próximas da sua filha e organizar para que elas passem a noite na sua casa, com muitos jogos, diversões e guloseimas. 21/mai/2020 - Explore a pasta 'rolezinho em casa' de Joao Machado no Pinterest. Veja mais ideias sobre Noite de filme, Ideias românticas, Noite das meninas. 23/abr/2020 - Explore a pasta 'Noite das meninas' de Maria Eduarda no Pinterest. Veja mais ideias sobre Noite das meninas, Coisas de melhores amigos, Fotos de amigos. Sucesso entre meninos e meninas, a festa do pijama é uma opção mais intimista para festas de aniversário ou reunião da turminha para se divertir. O objetivo é trazer todo mundo para casa e aproveitar muito o look descontraído e o conforto para passar uma noite cheia de brincadeiras, guloseimas e atividades empolgantes. 14/jul/2020 - Explore a pasta ' Meninas' de Feer Montanheiro, seguida por 1958 pessoas no Pinterest. Veja mais ideias sobre Ponto cruz infantil, Ponto cruz menino, Ponto cruz. 12/jan/2020 - Explore a pasta 'Bolos decorados para meninas' de Lina Santos no Pinterest. Veja mais ideias sobre Festa paris, Festa menino, Decoração festa bailarina simples. 3 dicas pra fazer a melhor “noite das meninas” da vida: - Convide as amigas certas: Se você teve grupão na escola ou na faculdade, a gente aposta como nem todo mundo se dava muito bem. A noite das meninas é sua, então só precisa convidar quem você quiser: nada de chamar aquela fia que não troca uma palavra com você há anos - é ... Jantar e conversar com as amigas do coração, sair à noite ou um cinema em casa? Aqui estão 10 ideias originais para passar um 8 de março bem agradável! Se você quer comemorar a sua data, 8 de março mas não quer ir em um restaurante ou balada, saiba que você pode fazer uma noite só com a mulherada e ser a noite mais divertida da sua vida! Aqui estão 10 ideias originais para ... 23/jun/2020 - Explore a pasta 'Noite das Meninas' de Julianapss no Pinterest. Veja mais ideias sobre Festa do pijama decoração, Noite das meninas, Festas do pijama de aniversário. 16/jan/2020 - Explore a pasta 'noite das meninas' de Stephani no Pinterest. Veja mais ideias sobre Noite das meninas, Ideias para festa do pijama, Festa do pijama adolescente.

Estou numa montanha russa de emoções

2020.09.19 07:02 flavio_brazil Estou numa montanha russa de emoções

Tudo começou no primeiro ano do ensino médio, atualmente estou no terceiro, tinha uma amigo que vivia cmg desde o quinto ano. Todavia pelas engrenagens do destino, ele começou a me ignorar, e passou a ficar com outro grupo. Até aquele momento, tudo bem tudo normal, o foda foi que ele começou a ignorar me na vida online, pois vivamos jogando CS. A partir desse momento comecei a ficar deprimido, mas o pior de tudo é que ele e mais um amigo meu antigo destruíram meu sever do discord, no qual eu tinha mto apreço. Após tal feito, entrei em depressão, pois me senti tanto traído, como abandonado. Segundo ano veio, eu tentando me regenerar de tudo o que passei, tentei voltar tal amizade, mas n rolou, ent tive uma oportunidade única, consegui uma namorada e foi a melhor coisa q me aconteceu. Me adequei a um novo grupo, basicamente amigos q não eram tão próximos, que se tornaram bastante. Porém ao mesmo tempo que eu comecei a namorar, outros dois amigos tbm, o meu antigo amigo, e um dos novos. E durante o segundo ano meio q as mesas se viraram, pq eu estava bem, e ele tava tentando se encaixar num grupo, mas nada que me afetasse. Terceiro ano vem, e é um rio de merda, primeiro o meu amigo traíra, Henrique, nome fake, começou a tratar com o meu grupo pq ele queria entrar mas n se adequava, aí veio a pandemia, EAD fudido, ele aproveito e se distânciou realmente de geral, fisicamente e virtualmente, fiquei de boa pois pensei q nada de ruim ia acontecer. Entretanto, nossas namoradas ficaram amigas, por causa de um grupo de português, e começaram a se falar, criaram grupo e os krl. E tiraram uma ideia do cu, que queriam unir todo mundo, "meu grupo" e a namorada do traíra e o próprio. Eu puto recusei, pq já tinha superado, ent ao instante que eles criaram um grupo pra geral, eu quitei. Mas acontece que oq me fez bem, n fez pra minha namorada, pois as amigas delas, ficam falando que eu sou abusivo, estrupador, tóxico e justamente é tudo que eu quero evitar. Elas ficam falando merda no ouvido da minha namorada, e ela tá bem incomodada, mas n quer deixar de ser amigas pq ela n gosta de confusão, mas fica puta qnd falam mal de mim pelas minhas costas. Hoje falei com alguns membros do meu antigo grupo, inclusive um deles namora uma das meninas, eles vem me falando que não gostaram de reunir geral, pq o grupo realmente virou tóxico, e nem eles podem falar oq pensam, pois vem duas garotas militar se em pondo como se fossem superiores, o traíra sempre toca no assunto que eu n tô no grupo pra aumentar o ego dele, eu eu realmente só estou preocupado com minha namorada. Hj tbm por conta de ter chamados os membros do antigo grupo, as meninas acharam ruim, pq supostamente eles estão falando com o inimigo (eu)
Desculpa erros, normas gramaticais, tá tarde da noite e pontuação não é mto minha área. Sei q meu problema é bem leve comparado a muitos aqui, mas só queria desabafar Abraços
submitted by flavio_brazil to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 02:53 irmao_urso00 Pensando até quando vou respeitar a quarentena

Boa noite meus queridos, a nóia desse fim de semana é essa.
A última vez que eu saí de casa por lazer foi em 16 de março. Não vou dizer que está difícil aguentar a quarentena porque minha família não está com dificuldades financeiras e as minhas aulas são EAD, então eu não vivo "sob pressão".
Ainda assim tá difícil. Tenho 21 anos e estou vivendo o "pico" da minha juventude em casa, e isso me deixa muito frustrado. Só se tem 21 anos uma vez na vida e eu vou fazer aniversário no fim do ano sabendo que eu perdi todas as experiências que eu poderia ter tido com 21.
Vi um especialista da anvisa falando na tv que as datas de vacinação mais prováveis são entre fevereiro e junho do ano que vem. Sinceramente eu estava pretendendo acabar com isso no ano novo, agora esperar mais 6 meses ta me desanimando.
Eu quero ver gente, quero abraçar meus amigos, quero conhecer alguma menina legal mas essa desgraça desse vírus vai me deixar em casa por mais um ano. É foda que ninguém parece estar respeitando esse isolamento então eu pensei em sair e fodase mas aí pensei que não quero colocar os familiares dos meus amigos em risco, e se for pra conhecer gente que ignora a pandemia talvez seja melhor ficar em casa mesmo.
To pensando em voltar a sair em janeiro. Talvez eu mude de ideia até lá e fique em casa, mas atualmente é esse o plano. Não quero parecer egoísta mas é literalmente só eu na família levando essa quarentena a sério, sendo que eu sou o mais novo, o menos sedentário e sem nenhum problema de saúde.
é isso, paz e força a todos
submitted by irmao_urso00 to desabafos [link] [comments]


2020.09.12 01:23 digo_alvs BV:A mentira mais bem contada da história!E logo depois provavelmente um trauma!

Olá Luba,editor,gatas,e pessoas de papelão,vim aqui contar uma mentira qie durou 5 anos,estava eu emmeu 7°ano do fundamental ,perguntaram-me se eu era BV ou não,falei que não era(mas era mentira),mas pela minha personalidade e mwu jeito de nerd,mas do tipo que so gostava de estudar e tava nem aí para intwração social de nhum tipo,para fazer eles acreditarem falei:que já tinha ficado um pouco mais sério com uma menina naquele msm ano,mas as coisas não terminaram legal aí acabamos separando e ela me bloquenado em tudo.Assim não teria como mostrar a menina (inventada claro rs),logo não mexi maos no assunto de eu ficar com alguém ou não até o 2°ano do colegial(este ano) nos priemeiros dia s de aula,perguntaram se eu tinha pegado alguém nas férias,até que para me incluir naquela panela de amigos resolvi mentir outra vez(o que claramente não é a ideia mais inteligente de todas mas estava disposto a arcar com os riscos)então com a cara mais natural possível falei que tava praticamente namorando uma menina e inclusive tinha viajado para BC(Balneário Camboriú)com ela logo após a virada do ano(não quero me gabar mas sou ótimo mentindo pois penso até em problemas futuros,deixando brexas para que encaixassem as mentiras com minha vida real)mostrei a foto dela para alguns de meus amigos eassim foi,quando duas semanas depois antes de chegar na sala eu faço uma cara de tristeza(o que não é dificil pois e meu atual estado depoia de alguns anos),e falei que tinhamos termindo pois ela não queria mais nada,logo pouco tempo depois,no começo da quarentena,resolvemos furar a mesma para ir em um açái,fomos lá comemos e logo voltei para casa,meus pais perguntaram e eu resolvi mentir denovo falei que tinha levado uma menina até a casa dela.Depois de alguns meses,eu e meus amigos cansados da quarentena resolvemos começar a caminhar num lugar chamado "piscinão"(que é nada mais do que o lugar onde toda a água da chuva vai,lá é quase e literalmente dois lagos retangulares com uma calçada elevada e plana em volta do mesmo para as pessoas fazerem caminha,lá também tem linos gramados e algumas quadras)logo eu fiquei mais socialmente interativo,então resolvi chamar meus amigos para ir em minha casa em uma reunião simples com salgados e bolo para não deixar meu aniversário,minha mãe perguntou se a menina que eu tinha pegado anteriormente fosse minha amiga que tinha ido para minha casa,a mesma falou que não,e minha perguntou se ela tinha ido noaçái naquele dia também,a mimha amiga respondeu sim,antes que minha falasse alguma coisa a mais dei um jeito de distrái-las,logo falei bem baixo para minha amiga que se perguntar se ela conhece a mina que eu timha perguntado,era para ela falar sim,e expliquei(logo menti)que logo depois do açái tinha ido para a casa dessa mina e pegado ela,mas não era para falar que eu fiz isso e sim que eu tava com ela no açái.Depois de um tempo de caminhada uma amiga nossa começou a ir também,mas sepois de uns 3 dias essa amiga nova na caminhada leva uma amiga dela para ir também,até então normal,camimhamos conversamos todo mundo,até que a noite depois da caminhada chega essa amiga que levou a outra que chamerei de:"Morty",chega para mim e fala que a Morty queria ficar comigo,eu com um pé atrás resolvo conversar com a morty para ver se era verdade,e para minha surpresa era,no dia seguinte não estava com cabeça para tal coisa e resolvi não pegar ela,no dia seguinte cheguei nela e fiquei com a morty(ou seja perdi o BV),mas não lembro de boa parte do beijo depois de uma hora,sinceramente deu branco igual uma prova,não lembro se fui bem ou não ou quanto tempo durou(e isao foi somente a 1 hora atrás)acho que devo procurar por um psicologo.Mas essa é a história,espero ter entretido vocês,vou comer agora e logo depois dormir porquê a caminhada foi exaustiva,ent flw e obrigado pelo tempo para ler essa história grande.
submitted by digo_alvs to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.10 16:12 henrylore Najiyu Ep 9 - Nós somos prisioneiros! Por enquanto...

??: *joga Nevaska dentro da cela
*fecha ela com toda a força
*sai andando pelo corredor frio e cinzento, aquecido apenas por um tapete roxo no chão
*abre a porta principal muito parecida por uma porta de cofre
*fecha ela
Ne: *ouve barulhos de tranca
...
*olha pra cela ao lado e vê
H: *sentado na cama da cela
...
L: *esticando a corda do arco até ela fazer algum som
P: *na outra cela do outro lado deitada
Ne: meh
H: nao tem nada a dizer?
Ne: o que vocês querem que eu diga?
L: nada so que voce extrapolou o plano todo brigando com UM GUARDA VOCÊ PODIA BRIGAR COM QUALQUER CARA MENOS UM GUARDA
Ne: tá bom ok?
eu briguei com ele porque ele se meteu na briga entre EU E SHIBARU
*bate na grade
H: e por que cacetes você foi pra cima dele daquele jeito?
Ne: vocês não sabem o que é construir uma coisa, pra entregar e confiar ela pro cara e ele destruir tudo
PRINCIPALMENTE COM PESSOAS
PESSOAS era uma vida aquilo ali
a Winry, era uma alma que foi destruída por XERETAR
L: hmmm
P: mas como assim? você deu tudo pra ele?
Ne: depois que a minha melhor amiga sumiu na minha última missão eu resolvi passar o cargo de líder pra próxima pessoa, e abandonar a ordem
ou seja lá o que isso se tornou
L: e voce entregou pra um palmeiras aleatório?
Ne: ele era confiável na época, a pessoa mais velha e confiável que eu tinha
ele tinha se provado ser uma boa pessoa e de confiança
mas então ele se tornou arrogante e tirou tudo de mim
...e da ordem
L: ah legal, agora ele vai sair andando por aí se achando o espertão por ter "vencido"
P: entao você era a líder??
Ne: sempre fui, e quando voltei sabia que ele não ia me querer de volta no cargo
só como substituta
L: voce entregou o seu cargo.
Ne: PERDE A SUA MELHOR AMIGA PRA VOCÊ VER
L: E EU LA TENHO UMA MELHOR AMIGA??
P: A CULPA É INTEIRA DE VOCES O LUSK FICOU GRITANDO, A NEVASKA EMPURRANDO O HB, AH VAI NÉ
H: e aí?
L: hm?
Ne: hein?
H: voces vão continuar brigando?
a gente tá preso.
seja lá de quem foi a culpa
a gente tá aqui
e é isso...
Ne: ... tu tem razão
L: é
P: *só deita pro lado
H: *pega duas pedrinhas e tenta trocar elas de lugar
não funciona aqui
Ne: é uma cela anti magia
magia não funciona aqui
*tenta fazer um pedacinho de gelo no chão mas ele se desfaz
L: é, estamos fritos.
H: vocês já pararam pra pensar por que separaram a gente em 3 celas?
Ne: porque separam meninos de meninas
L: e acharam a nevaska muito brava das ideias pra ficar perto da ponce
alias que história de toggi foi essa?
P: *se senta e olha pro lusk
você não sabe da minha vida pra se perguntar isso
L: Hmmmmm. Maneiro.
H: mas aí
o que o shibaru quer aqui?
Ne: nas cartas dele tavam escrito que ele queria poder
P: poder? numa vila humilde dessas?
Ne: é normalmente onde guardam as coisas mais poderosas...
H: voce sabe de alguma coisa que a gente não sabe né?
Ne: não
H: pode falar
Ne: não?
H: hmmmm *se encosta na parede de novo
*olha pra cima e vê a luz da lua batendo na janelinha e se contrastando com o resto de luz da tocha na parede que levemente vai se apagando
??²: *passa fazendo uma sombra na cela
*coloca a mão na grade da janela
talvez o nome disso seja Guilt
*olha lá pra dentro
H: ...?
o que-
??²: *abaixado e olhando lá pra dentro
Guilt... é o nome disso
H: ...
*percebe que é a mesma pessoa do dia do trem, que estava assaltando todo mundo
V-VOCE
VOCE TAVA NO TREM
??²: tava
H: VOCE TENTOU ROUBAR A GENTE
mas você desistiu?
??²: foi
Ne: ah é? então foram vocês
H: achei que voce tinha duvidado
Ne: nah eu sabia que algo assim acontecia mas não achei que você acordaria
??²: foi exatamente isso que me chamou a atenção
mas fala aí vai querer sair daí ou nem?
H: nao sei se confio em você...
??²: ou você confia ou você não sai
H: e como voce vai fazer isso?
??²: *levanta e sai andando
**do lado de fora:
??²: *chega perto da ?³ (a outra pessoa do trem)
??³: *olha pra frente do castelo e vê um guarda la
*sai andando e indo em direção ao portão do castelo
Bessa: *olha pra ela
EI! O QUE FA-
??³: *olha de volta e seus olhos brilham rosa
*adormece o guarda Bessa
*vira pro ??² e faz um joinha
??²: *abre lentamente uma festinha da porta, suficiente pros dois passarem
??² e ??³: *entram
??²: *segura a mão da ??³ e sai andando pelo escuro (ele provavelmente enxerga no escuro)
**do lado de dentro
H: ...
L: soa melhor assim
Ne: os caras vazaram
**ouvem um barulho de tranca
??²: *abre a porta
boa tarde família
H: ah você conseguiu
??²: óbvio que consegui
*puxa umas chavezinhas
*abre a cela da Nevaska
Ne: *sai se limpando
depois dessa eu nunca mais bato num guarda véi
??²: *abre a cela do Henry e lusk e ponce
H: estamos livres
mas e aí? qual seu nome
J: meu nome é John, mas tu pode me chamar de Nomad ou sei lá
Du: meu nome é Duda, mas você pode me chamar de... Mikasa?
H, L, J, P, Ne: Duda
Du: ai tá bom meu deus
P: agora a pergunta é será que tem mais gente lá pra trás?
**olham pro fundo do fundo do corredor onde se sente um vento frio vindo dele
L: vamo vê né não custa ver
**veem na cela ao fundo uma pessoa com olhos vermelhos olhando seriamente pra eles
**nas celas ao lado tambem, diversos olhares hipnotizantes avermelhados
Ne: e tá aí a razão da gente estar aqui
P: se isso tá aqui... significa que a fonte dessas coisas se encontram aqui
L: mas e ai a gente solta esses cara aí?
??¹: *para de olhar pra eles e senta na cama da cela
H: nah isso precisa ser tratado com cuidado
Ne: é verdade, vamos conversar com eles assim que recuperarmos a confiança
J: sinceramente eu não acho que vocês vão recuperar a confiança de alguém assim...
fugindo da prisão
Du: o John tem razão
fazendo isso vocês já perderam todas as chances de ganhar a confiança deles
Ne: eh?
meh a gente tá aqui pra solucionar não pra amigar
certo?
H: •-•
Ne: eu acho que não
J: *guia os dois pela escuridão até a saída
**veem o guarda caído na porta
J: shhhh morto não fala
Du: hehehe
H: voce adormeceu o cara?
J: sim
**depois de um pouco longe
Ne: tá oq a gnt faz agora
J: voces disseram que o cara que vocês tavam procurando
queria poder né?
H: sim
J: e se esse cara procurasse o Guilt?
L: quem diabos é guilt?
J: ele é uma das crianças que deviam ser protegidas aqui
ele tem um amuleto que dá poder pra quem possuí ele
L: QUE MANEIRO então ele deve ser bem poderoso né?
J: minha teoria é que ele não sabe usar aquilo, mas se ele fica sem aquilo ele fica muito fraco
então eu resolvi não roubar
Ne: você tentou roubar aquilo?
J: sim
H: eeeeeh
J: eu desisti pelo bem dele, mas tem gente que não desistiu
H: e onde você achou?
J: ele frequenta lugares específicos normalmente
H: então a gente tem q achar ele
L: hmmm
J: que dia é hoje? 23 né?
é aniversário dele
H: onde será que ele comemoraria o aniversário dele?
...
Ne, L e P: ...
J: o que? esperavam que eu soubesse?
L: sim.
J: heh pois é eu não sei
Ne: é bem provável que se a gente encontrar o menino a gente encontra o shibaru
J: hmmmm ele sempre vai na sorveteria de tarde...
L: de noite ele dorme né mané mas onde ele mora?
J: hummmm
Du: tem uma casa em cima da loja de picolés
talvez aquele cara tenha abrigado ele ali
J: o tio do picolé?
Du: ele mesmo
**depois de um tempo
J: é aqui.
*abre a janela que por algum motivo tava destrancada
**todo mundo entra
J: *sobe as escadas e...
não tem ninguém aqui
Ne: talvez ele já tenha passado por aqui
P: ou o menino nem mora aqui
H: mas tá tudo revirado olha aqui
Sh: *do lado de fora em cima de uma árvore
*olha pra janela da sorveteria aberta
...
*dá um sorriso
só uma provocadinha vai...
*coloca a mão na boca do guilt pra ele não gritar nem nada
**ouvem um barulho vindo de baixo
J: ouviram isso???
P: shhhh
*desce as escadas com cuidado
...
Sh: ello.
*aparece segurando o guilt
G: merda
P: VOCÊ
Sh: relaxem
P: *corre e da um soco na cara dele
Sh: *leva o soco mas joga ela no balcão
J: *usa uma força de gravidade e faz o shibaru cair
Sh: *é empurrado pra baixo e não consegue se levantar
quem é... esse cara?????
J: *prepara um golpe de relâmpago
H: °°
ELE CONTROLA DOIS ELEMENTOS????
J: *aponta pro shibaru e...
H: *segura a mão dele
não, se gente fizer isso aqui a gente vai chamar atenção demais
J: ô seu-
G: *aproveita e tenta escapar pela janela
Du: *tenta usar os olhos pra adormecer o shibaru
G: *olha e adormece zz
Sh: entao é isso, ela consegue adormecer os outros!
Du: *usa de novo
J: *nao olha
Sh: *puxa a espada dele e reflete fazendo Nevaska, Ponce e Duda adormecerem
L: QUE (ele tava em cima então ele não olhou)
H: meu deus
Du: oh
acho que isso é ruim gente
??: TEM ALGUEM AÍ??
QUE BARULHADA É ESSA
Sh: *segura Guilt e pula pra uma árvore
??: o que foi isso? (percebe-se q ele tá do outro lado da loja)
J: tsc
eu distraio eles, vocês vão atrás daquele cara e do Guilt
H e L: *acenam que sim com a cabeça
J: *sai da loja e sobe rapidamente em cima na laje
*joga um monte de estrelas ninja com bombas de fumaça pra cima
??: VOCÊ..
*sobe e vai atrás dele
H: acho que é com a gente brether
L: concordeis.
**colocam as 3 no andar de cima
H: *tranca por dentro
*deixa a chave ali
L: *pega um lápis do balcão e deixa na escada
H: *troca de lugar com o lápis
boa brether
H e L: *batem os punhos
H: *fecha a janela depois de sair
fiquem bem...
**saem correndo
L: pra onde tu acha que ele foi?
H: eeeeeh não faço ideia
Sh: nao muito longe do que vocês pensam
**se encontram num lugar sem saída bem espaçoso mas cheio de vendinhas velhas e armazéns de produtos pra repor
Sh: é uma grande honra ter os novos integrantes da ordem aqui comigo...
pra morrerem.
*junta as mãos e faz uma hiper onda de fogo em volta dele
H: °°
L: guh
pois é mano
H: onde você botou o maluco lá?
Sh: como se eu fosse te dizer...
vocês não vão salvar ele
basta eu tirar o amuleto
e eu serei imparável
L: voce so vai fazer isso se a GENTE deixar.
Sh: e vocês deixam?
L: Não.
Sh: *faz uma bola de fogo na mão e atira neles
H e L: *vai um pra cada lado e desviam
**bola de fogo bate nuns barris e começam a pegar fogo
H: isso vai chamar atenção
L: a gente tem que ser rápidos.
Sh: que o show...
*olhos brilham vermelho
comece.
... NO PROXIMO EPISÓDIO DE NAJIYU
Najiyu Ep 10 Por uma vida
❤️
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 16:09 henrylore Najiyu Ep 7 - Nós vamos em busca de pistas! Ao trem! Yahoô

H: *olho volta pra cor normal
P: seu olho voltou ao normal
H: ... oq vc acha q ta acontecendo
P: eu nao tenho a mínima ideia
L: ...
Ne: a gente vai ter que ir pra naji
Ar: v-voce tá doida??? não lembra das missões que mandaram você pra lá? ou qualquer pessoa? ninguém voltou!
v-voce tem certeza???
Ne: não, mas é a única coisa q a gnt tem pra fazer
Ar: ... ferrou.
Ne: então, ponce ne?
P: sim
Ne: a gente precisa pegar uma arma pra você então venha escolher
P: ok!
H: Arthurzao? tá tudo bem?
Ar: *olhando fixamente pro corpo da Winry
... é
H: ta claramente vc n tá bem..
Ar: ...
H: quer conversar?
Ar: *fala sem parar de olhar pra cena
só se você jurar guardar segredo.
H: ...
**tempo depois
H: onde é aqui?
Ar: aqui é o bar do Christian, é um velho muito maneiro aqui da ordem
H: hmmmm
L: bem que eu tava com fome mesmo.
Ar: *abre a porta
Christian...
*surge um cara de dentro de uma cozinha, um cara velho, com um cabelo branco curto, e uma barba longa, sem o braço esquerdo, se apoia no balcão apenas com o único braço
Ch: (uma voz meio de um cara velho)
alô? ah, Arthur! oq houve? você sempre me grita meu caro.
Ar: rolou uma coisa meio ruim agora mesmo, a ordem inteira tá em alarme.
Ch: heh morreu alguém?
Ar: ...
Ch: ah.. Winry..
H: como você sabia?
Ch: ah, deixa que o Arthur te conta, eu tenho que fazer as bebidas
L: ce viu isso mano o cara não tem um braço
H: conta aí Arthurzao
Ar: hmmmmm
H: *bebe refri
Ar: mano... eu gostava de Winry e eu ia me declarar assim que as coisas se acalmassem e tal
mas eu acho que isso nao vai acontecer
H: *cospe um pouco de refri e olha pro Arthur
-'
**ali do lado na loja do ferreiro
Ne: *encostada na porta esperando a ponce
escolhe o que você mais acha que vai ser legal pra você
P: hmmmmmm
*olhando pra todas as armas 5 vezes
Ne: ...?
P: hmmmmm...
Ne: quer ajuda?
P: sério, eu não sei
Ne: tá, olha só
*olhando
espadas são pra pessoas que gostam de ir corpo a corpo, mas você tem que estar atenta a todos os lados pra se defender
lanças são pra pessoas que atacam de longe e de perto, são bem equilibradas
e arcos...
P: ARCO é isso eu quero um arco
Ne: horizontal ou vertical?
P: ... vertical
Ne: *tenta alcançar na última prateleira da oficina mas não alcança
...
P: fofinha
*segura a Nevaska e levanta um pouquinho
Ne: *pega o arco *entrega pra ponce
P: hmmmm
Ne: só não temos flechas, a gente vai ter que pedir pro ferreiro faze-
P: nao precisa!
eu dou meu jeito
Ne: mas é so-
P: a gente não tem tempo, vamos amiga
*segura a mão da nevaska e puxa ela pra fora da ferraria
Ne: que
**de novo no bar
H: ... MANO
Ar: ...
H: é mais pesado do q eu pensava...
Ch: *volta e coloca as coisas na mesa
ah que trabalho, heh
L: *colocando o braço pra dentro da camisa pra ficar sem um braço tbm
Ch: ... tá tudo bem aí menino? heh
L: hmmm, tudo bem
Ch: tá querendo ficar sem braço também? heheheh isso é engraçado
L: cara você não tem um braço como assim
Ch: ah querido eu perdi a muito tempo atrás né? tava numa batalha e o cara resolveu cortar ele fora, aí eu fiquei assim né
L: e aí você ficou sem?
Ch: e o que eu poderia fazer? não tem como eu colocar meu braço de volta, infelizmente eu ainda não sou um lego
hehehehehehehe
L: que maneiro!! e o que você fez com o braço
H: -'
Ch: ...heh o... que você quer que eu faça cara? heh
eu queria botar na porta do bar dando oi ali mas acho que seria muito macabro não? heheheh
L: ahuehee
mas isso atrapalha você?
Ch: nah depois eu acostumei! heh
so me atrapalha pra pegar as bebidas mas é tranquilo
L: quer ajuda aí?
Ch: claramente! heh vem ver minhas bebidas premiadas aqui
L: hmmmmm
*vai pra cozinha
H: cara... mas- você não acha que vai superar isso?
Ar: meh talvez
H: escuta aqui talvez a gente consiga achar algo para conversar com ela! tenho certeza de que ela tá feliz com você aqui
e ela ficaria ainda mais feliz se você fosse descobrir e prender o shibaru
Ar: ... você tem razão cara.
eu irei socar a cara desse shibaru
H: tu vem com a gente ?
Ar: não sei...
eu vou pro festival da música, então ajudo vocês lá na investigação
H: ai sim, eu curti
Ne: *abre a porta gente?
**no anoitecer
Ne, H, L, P e Ar: *olhando pra um túmulozinho escrito "Winry"
Ar: ...
H: *da dois tapinhas nas costas do Arthur
Ar: eu vou arrumar as coisas por aqui e logo sigo missão ok?
Ne: acha que consegue cuidar das coisas lá por mim?
Ar: claro, mestre.
Ne: hehe vai lá fica bem tá?
Ar: pode deixar
H, P e L: *com mochilas prontos pra partir
Ne: tão prontos
L: nunca nasci mais pronto
H: pera você nasceu quantas vezes?
P: tambem, quase morreu ali na pirâmide
L: aaaah qualé
Ne: ele não quase morreu gente
**começam a andar
H: como assim
Ne: quando a pessoa está hipnotizada, 80% do dano causado a ela vai pra versão dark dela
então o dano que o lusk tomou era reduzido
por isso que o bicho morreu antes dele
entenderam?
L: entao por isso tu deu um tempão ao invés de me ajudar?
Ne: sim eu sabia q você não ia morrer
H: oloco vc
**chegam numa estaçãozinha de trem
H: "MayGabi"
que isso
Ne: é pra onde a gente vai
*senta no banquinho
L: Esperemos.
Ne: olha só, tomem cuidado tem altos níveis de pessoas aqui que esquecem as coisas no trem
H: ué pq as pessoas esqueceriam as coisas aqui?
Ne: não sei mas tomem cuidado, não esqueçam nada
L: pode deixar
H: *ve o anoitecer
vocês também sentem algo familiar quando olham pras estrelas?
Ne: *olha pro henry
hm?
H: eu não sei eu sempre senti algo quando olhava pras estrelas
é bem... familiar
Ne: *dá um sorriso e olha pra ele
talvez sua infância tenha sido algo tão curioso quanto a vastidão do universo
amnésia infantil é algo comum da gente ter
e resquícios de memória causam...
sentimentos e tal
P: *olha pra Nevaska e olha pra baixo
H: ta tudo bem?
P: nah so lembrei da minha família, nada demais
H: ... quer conversar sobre
P: hmmmmm talvez mais tarde...
L: o trem tá vindo
**trem chegando e freiando la de longe
Ne: ... vamos?
*olha pra todos com um sorriso
H: ... vamos
**trem para
*Lusk entra primeiro
*Nevaska em segundo
*Ponce em terceiro
*Henry por último
Ne: hmmm é por ali
(o trem tem cabinezinhas tipo o trem de Hogwarts)
Ne: vamos dormir separados né?
L: claramente eu não iria querer dormir aqui com nenhum de vocês.
H: *senta na cabine e mexe nos bolsos
hmmm..
*puxa um dos papeizinhos daquelas páginas do diário de raposas
...
*olha fixamente pra página
L: *bate na parede que dá na cabine do Henry
aí, da pra ver a cachoeira q você caiu daqui
H: *olha e vê, atravessando um lago, em contraste com as nuvens escuras e estrelas, a cachoeira lá longe, e uma pequena silhueta de uma casinha, onde só se vê a luz da janela
H: ... eu prometo voltar... é sério
isso é só-
*olha pro lago e vê o reflexo do rostinho da ponce, do lusk e da nevaska nas janelas
...
por um bem maior
*pega a página e guarda no bolso
*deita na mesa e dorme
...
*tempo depois
**acorda com um barulho muito alto
H: ????
*levanta
*olha pra fora e vê o trem parado e um pouco de neblina
alô? gente o trem parou
...
*sem resposta, abre a porta
*olha aos arredores e não vê nada
*abre a cabine da ponce e da nevaska
*vê as 2 dormindo, a Nevaska babando de tanto dormir
vish ninguém acordou
*fecha a porta e vai até o maquinista
*abre a porta do maquinista e vê ele dormindo
ué...
*ouve um barulho lá atrás e olha
??(pessoa com capuz marrom escuro): *sai correndo da cabine da nevaska com uma mochila
H: EI *corre atrás da pessoa
*tenta alcançar a pessoa
??²(um cara com orelhas cinzas e olhos azuis escuro): *aparece na frente do Henry derrubando ele
H: que?? quem são vocês?
*levanta
??²: ah... só... ladrões de trem
H: essa mochila não é de voces, vocês sabem disso né?
??²: agora é, então vê se não enche o saco
H: *abre a porta da cabine do lusk
Lusk, lusk, lusk LUSKKK
??²: ele não vai acordar, a minha amiga aqui botou todo mundo pra dormir
*aponta pra ??¹
inclusive... eu ainda não sei por que você tá acordado
H: eu sou imune a ilusões
*puxa a espada
??²: filosófico
mas não é imune a mim
H: *cai no chão do nada
??²: *faz uma força de gravidade em cima dele empurrando ele pra baixo
você não consegue nem se levantar depois disso?
H: assim não né fi
*olha pra ??¹
*troca de lugar com ela
??²: °°
H: *tenta segurar o ??²
*aponta a espada pra ele
devolve o que tu roubou.
??²: *segura a mão do henry e lança uma rajada de choque nele
H: *leva o choque e perde a chance de atacar
??²: *empurra ele na parede e segura pelo pescoço
... hm gostei de você
*da um socão na cara dele
H: *apaga
**no dia seguinte
H: *acorda
hmmm.... *vê a mesa, tudo onde ele tava antes
foi só um sonho?
*olha pro lado e vê a mochila da Nevaska
....?
que
Ne: *abre a porta
finalmente tu acordou hein-
EI
Q Q A MINHA MOCHILA TA FAZENDO AQUI
EU TAVA DESESPERADA PROCURANDO ELA SEU SAFADO E VOCE PEGOU
H: eu não peguei nada aqui
Ne: o que você queria na minha mochila?
H: de noite, uns caras vieram aqui e roubaram umas coisas
Ne: conta outra, eu teria acordado
H: hmph...
L: VAMO ACORDAAAAA
NINGUEM GANHA DINHEURO NA CAMA JA QUE ESTAMOS EM TEMPOS MEDIEVAAAIS
P: bom dia
Ne: o trem já vai parar
**trem para
**todos descem e olham nos arredores, uma vila muito linda, cheia de estátuas, uma torre do relógio enorme, uma esfinge, e muitas casas extremamente bonitas (não é na areia)
H: onde estamos?
Ne: na vila da MayGabi
**entram na vila
H: ninguém desceu com a gente?
Ne: não são muitos dias que as pessoas vem aqui
experiência própria
H: mas aqui é tão lindo...
??³: oi?
*aparece na frente deles
bom dia sr (uma menina com duas mechas amarelas, e uma roupa vermelha)
??⁴: fala aí (um cara com moletom preto, e um cabelo preto, e olhos azuis[tô me orientando pela skin])
Li: meu nome é Lily sejam bem vindos a vila
Hb: e o meu nome é hbiujkbn
Li: marrapais já manda o nome inteiro?
L: MANO que maneiro
H: WOOOW
P: *olha pra Lily
hmmmmm...
No próximo episódio de Najiyu:
Najiyu Ep 8 A rainha dos gatinhos
🐈
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 00:07 cutiemango_lover Tenho 20 anos, ainda sou virgem, tenho medo de "perder", sou muito tímida e levei um fora que acabou comigo

Ta, n sei por onde começar, então só vou contar a história que fez minha confiança ir de 0 pra - 1.
Eu sempre tive a convicção que iria perder a virgindade com alguém q significasse algo pra mim, porque eu n quero que seja uma péssima experiência e pq acredito que, pra que seja boa, a pessoa tem q pelo menos se importar comigo. Sempre fui muito tímida, totalmente travada e, mesmo tendo plena convicção q sou hétero, só consigo me relacionar "bem" com homens se estiver bêbada. Com "bem" quero dizer simplesmente ter uma conversa normal, flertar normalmente, entende? Olhando nos olhos, conversando, trocando ideia naturalmente, essas coisas...Geralmente, fico muito insegura e receosa quando estou conhecendo alguém. Teve um dia, na faculdade, que um cara aleatório ficou me encarando. O campus é enorme e n conhecia essa pessoa, mas o achei bonito. Tentei segurar a vontade de rir, mas n deu, aí óbvio que ele entendeu isso como correspondência (e era mesmo). Dps de um tempo, coincidentemente nos encontramos de novo e começamos a ficar.
Ele era muito sem filtro (o total oposto de mim) e, por algum motivo, pouquíssimo tempo depois de nos conhecermos eu me sentia bem confortável com ele. Acho q era porque ela falava muita besteira. Eu só ria e ignorava, mas foi isso q fez com que eu 'destravasse' um pouco. O problema é que n parecia q ele me via com nenhum romance. Como posso explicar? Pra ele, eu era só uma gostosa, entendeu? Inclusive, sempre que ele ia me elogiar eram coisas do tipo "Nossa, fulana, você é muito gostosa" "Nossa, seu corpo é maravilhoso", etc. Teve um dia que eu me irritei e falei "Pq vc é assim? Eu n sou só gostosa! Tbm sou inteligente, engraçada e várias outras coisas. Vc toda vez só fala isso. " Isso me magoava pq eu queria q ele me visse da mesma forma q eu estava começando a ve-lo e não ficar falando daquele jeito idiota.
Quando ficávamos, ele sempre queria ir além e além e além. Muitas vezes eu deixava pq n queria q ele me achasse uma chata e tbm n sou nenhuma santa, mas geralmente era meio demais. A primeira vez q saímos fora da faculdade era pra ser pelo menos um pouco romântica, imagino; mas só q no meio da rua ele ficou querendo botar a mão por baixo da minha roupa. Tava de noite e o lugar era deserto, mas mesmo assim! Eu fiquei falando que não, que não queria e ele usava tudo q pudesse pra me convencer. Ficou lá falando maior tempão, me manipulando, fazendo mil promessas...Ele sempre fazia isso.
Teve um dia que estávamos juntos e realmente quase chegamos lá, até hj, foi o contato mais íntimo que já tive com alguém. O clima esquentou e de repente, já estávamos um em cima do outro, mas na hora, me deu medo dele me largar assim que eu fizesse o que ele queria e eu já gostava dele. Eu nunca me senti bem com nenhum outro cara, como me senti com ele. Sempre que algum garoto me tocava, a tendência era eu me esquivar, mas com ele tudo parecia muito certo. Só q nesse dia, por causa desse meu medo, mesmo estando lá, eu desisti bem na hora e disse q não queria passar do que já tínhamos feito até o momento (eu entendo que isso pode ser muito frustrante, até um vacilo da minha parte e me senti muito mal dps por ter negado tão em cima da hora assim, mas pelo desfecho da história, atualmente n me arrependo) Óbvio que ele tentou de tudo pra me convencer, até pq, já estávamos la ne. Mas eu disse q n queria, que n estava me sentindo confiante e que não adiantava insistir, eu n ia deixar. Depois de muita conversa, ele aceitou e, pelo menos pra mim, foi bom esse dia. Eu tentei viver o momento, pq de certa forma, lá no fundo eu já percebi q dps dessa ele n ia mais querer saber de mim. E foi isso mesmo. Ele n me procurou mais, começou a me evitar e ser um grosso, então, mesmo triste, parei de procurar tbm.
Aí do nada, ele me chamou pra sair de novo. Eu, q sou uma burra, aceitei (até pq, a essa altura já gostava dele) Saímos e, enquanto estávamos comendo e conversando, ele simplesmente começou a falar de outra menina!!! Eu fiquei perplexa enquanto ele falava que n estava mais falando com um amigo dele pq ele tentou ficar com a menina q ele ficava. Quando penso sobre esse dia, n consigo entender pq n levantei e fui embora ali mesmo, mas, por algum motivo, eu fiquei lá. Depois disso uma menina postou fotos marcando ele. Eu perguntei se ele estava namorando pq no dia anterior me implorou por nudes, fez tudo que era promessa, disse q gostava de mim e etc.. Ele disse q não e eu n acreditei e parei de falar com ele.
Vários meses depois, ele me mandou mensagem de novo. Fiquei toda animada, mas estava no estágio, então esperei até o final do expediente pra olhar. Sabe quando vc quer guardar algo bom pra depois, pra poder saborear melhor? Foi tipo isso. Fiz tudo q tinha que fazer e deixei pra olhar só na hora de sair. Pensei q ele iria me chamar pra nos vermos ou simplesmente querer saber de mim, já que há um bom tempo n nos víamos. Quando fui ver a mensagem, estava na rua e ele escreveu, assim, diretamente: "Ainda não comecei a namorar (com a outra garota*). Quer fazer uma loucura comigo antes?".
Eu vi aquilo e nem acreditei, comecei a chorar no meio da rua mesmo. Me senti um lixo, uma coisa. Um objeto completamente inútil. Eu nem sei descrever o sentimento, foi horrível. Tbm me senti muito tonta e humilhada por ter ficado feliz antes. Nem ia responder, mas respondi e disse pra ele nunca mais me procurar. Dps bloqueei. Só q no Facebook, vi q ele faz com a menina tudo q nunca fez comigo.
Tudo que eu praticamente implorava pra ele fazer (e ele nunca fez), com ela, ele faz de forma aparentemente espontânea. Fala coisas bonitas e é super carinhoso. Como eu, ela tbm é artista. Na conta de artes dela, ele elogia todos os trabalhos, cita mil qualidades e é um fofo. Eu sei que parece uma coisa super boba pra me desestabilizar tanto assim, mas a verdade é q isso acabou comigo. Me destruiu. Minha inseguranças aumentou e me senti incapaz de ser vista de maneira romântica. Agora, meu medo de me relacionar aumentou ainda mais, pq as chances de acontecer a mesma coisa são grandes. Eu me sinto indigna de um relacionamento e de alguém que goste de mim e acho q nunca mais vou encontrar alguém q me deixe confortável como essa pessoa me deixava e que nunca vou experimentar um sentimentos plenamente correspondido. Foi isso, desculpa o textão e desabafo, mas tava meio engasgado. Às vezes eu esqueço, mas quando me sinto mal comigo mesma, essa é uma das primeiras coisas q lembro e fico gastando minhas noites chorando por algo q n vai mudar... Parece q é só comigo, tipo um castigo, mas sei q n. Só q às vezes é difícil de enxergar...
submitted by cutiemango_lover to desabafos [link] [comments]


2020.09.08 02:17 Lukeoru Uma mina me olhou com nojo por eu ser gordinho e isso foi o pontapé que eu precisava.

Bom, eu resolvi fazer esse post pq me inspirei em um outro de alguém que levou um pé na bunda kkkk.
A Historia é o seguinte: Fui pra uma outra cidade sair com uma menina que conheci no Tinder(Fui nesse sábado 5/9 pra voltar no domingo 6/9). Nos tinhamos falado bastante sobre a vida dela e a minha e eu percebia um certo clima de que no minímo eu ganharia um beijo, mas chegando lá já fiquei desconfortável pois ela fez uma carinha de "nojinho" quando meu viu. Mas até aí beleza vida que segue... conversamos, na verdade, tentei conversar e criar assunto Mas ela ficava me cortando e quando eu conseguia falar ela ficava no celular. Isso foi me irritando aos poucos e fazendo eu me questionar se tenho um papo tão merda assim, mas continuei suave como se nada tivesse acontecido, até o momento que começou a chegar uns amigos E amigas na casa dela.
Como eu Não conhecia nenhum dos amigos dela, tentava entrar no assunto ou rir de algo que eu achava engraçado pra ver se eles percebiam que eu tava ali. Deu certo mas toda vez que eu falava, ela me cortava de novo Ou revirava os olhos, enquanto os amigos dela interagiam e trocavam altas ideias comigo.
No final da noite, só estávamos ela e eu na casa dela. Investi pra ver se rolava algo mas não deu em nada e fomos dormir em quartos separados.
No outro dia, eu acordei cedo, limpei a casa dela (pois estava frustrado e limpar me acalma) e quando ela acordou, ela nem me agradeceu.
Fomos almoçar juntos. Durante o almoço comecei a falar com ela sobre o que tinha rolado ontem, se eu tinha feito ou falado algo de errado ou se ela só se decepcionou comigo. Ela foi sincera falando que:
"Ah é que eu não tava muito no clima, e pensei que você não seria tão gordinho assim."
Isso fez eu segurar algumas lágrimas mas vida que segue né, tinha falado que só ia sair da casa dela as 15:00 E nesse meio tempo tentei falar sobre o porquê dela não ter falado isso antes, ou tivesse sido sincera desde que eu cheguei pra que eu não fosse criando expectativa, e ela só respondeu com um "Não sei".
Dado as 15:00, me despedi dela com um abraço e com um sorriso no rosto falei que adorei o final de semana e que deveríamos fazer de novo quando ela voltasse da cidade dela (no final desse mês ela irá voltar pra cidade natal dela) e ela disse com uma animação genuina na voz:
"Claro, vamos sim!"
Na volta pra minha cidade, fiquei pensando no jeito que ela me tratou, do que ela tinha me falado e de se ela tinha razão ou não. Decidi voltar pra academia e pegar firme, fazer dieta, ir pela primeira vez numa psicóloga pra ver se tá tudo normal na minha cabeça. Vou começar a dieta e academia amanhã (08/09) vou ir na psicóloga na Sexta feira (12/09).
Quando eu ver ela de novo vou ser um homem novo e melhorado. Prometi isso pra mim mesmo.
Enfim, desculpa o texto longo mas foi uma experiência "agridoce" pra mim, e só tinha que tirar do meu peito, obrigado por ter lido até aqui.
submitted by Lukeoru to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 05:18 _powerguido_ Senta que lá vem história

Ficamos juntos por 5 anos. E não foram 5 anos fáceis - minha ex namorada teve problemas que eu não sabia como ajudar. Ela era literalmente stalkeada por um ex colega de classe que simplesmente se apaixonou por ela e passou mais de dois anos perseguindo ela no trabalho, no mestrado, na academia. Chegou a conspirar com colegas da faculdade pra saber onde ela estava, quem eram as pessoas próximas dela. Tentou rapta-la, mais de uma vez. Subornou familiares para ficarem do lado dele. Pra ela, ele era só um cara que não sabia expressar os sentimentos bem. Se ele parou? Não. Mas reduziu a agressividade consideravelmente e hoje em dia se limita à "só" mandar um buquê de rosas no aniversário dela.
O cara já estava tão enraizado na vida dela antes de eu aparecer, que eu simplesmente não consegui convencer nem mesmo a minha ex de que ele era um cara realmente transtornado. O terror que era esse cara na vida dela só serviu pra agravar ainda mais o caso grave de ansiedade que ela tem. Vocês sabem o que é ver uma crise de ansiedade pela primeira vez, sem nem entender o que estava acontecendo? Mas uma crise grave mesmo, de fazer a pessoa chorar por duas horas sem parar, de ficar arranhando o corpo todo com as unhas e viver com hematomas nos membros do corpo por causa disso. E isso começou a ficar constante... uma hora eram uns arranhados no rosto, depois nas pernas. Até o dia em que eu fui ver ela e os dois antebraços estavam quase em carne viva.
E o pior, é que eu quase nem me lembro mais dessa época. Foi muito intenso e me afetou negativamente por muito tempo. Eu conseguia entender que um babaca machista se via no direito de perseguir uma mulher só porque ela não queria namorar com ele - mas meu deus do céu, eu com certeza não conseguia entender como ela mesma não via o quanto ela precisava de uma ajuda profissional por causa da influência negativa desse cara na vida dela (e por vários outros motivos que não valem nem a pena serem citados). Ela me usava como substituto pra tudo que ela não tinha na vida dela - um pai, um irmão, um psicólogo, um amigo. E eu me deixei levar, porque era ingênuo. Porque era meu primeiro namoro. Porque eu achava que eu podia consertar isso. "Depois das primeiras sessões no psicólogo ela vai perceber que esta fazendo bem pra ela", eu dizia pra mim mesmo. Passamos em tantos psicólogos, psiquiatras, gurus. Fizemos academia juntos, eu praticamente morava com ela e não ficava mais com minha família. Eu achava que eu podia dar um jeito na vida daquela menina.
E sinceramente? Eu podia mesmo. Eu não acho que falei alguma coisa errada pra ela em todo o tempo que estávamos juntos. Mas ela nunca me ouvia. E se ela ouvisse, talvez ela tivesse passado por essas situações com mais facilidade, nosso relacionamento teria tomado outros rumos e nós ainda estaríamos juntos. Mas não estamos, e quem está perdendo com isso é ela, porque ela não me superou com certeza. Ela mesma me fala isso.
Eu não acho que eu era um namorado incrível e maravilhoso. Eu nunca tive um carro pra conseguir dar um rolê com ela. Com meu dinheiro mal dava pra gente ir no cinema uma vez por mês. Mas cara, eu me esforçava tanto, tanto mesmo. Lembro que eu um dos dias dos namorados eu quase varei a noite fazendo uma carta à mão de umas 10 páginas, tinha vários desenhos coloridos, poemas apaixonados e promessas de amor. Ela achou ok. Gostou mais do bicho de pelúcia que eu também dei, que custou 10 reais e que claramente não tinha nenhum valor sentimental pra mim. É muito difícil lidar com um cara que persegue sua namorada, mas acho que é mais difícil quando sua própria namorada não dá valor pra como você expressa seu amor por ela.
Mas você leitor deve estar pensando "Mas você disse isso pra ela?" E a resposta é sim. Eu sempre fui sincero com ela, se algo me chateava, eu dizia. Nada do que eu estou escrevendo aqui é algum segredo pra ela. E eu achava que ela ia trabalhar essas informações pra criar um relacionamento mais confortável pra mim e pra ela. Mas ela escolheu ignorar.
Mas o motivo de eu estar escrevendo tudo isso mesmo na verdade é outro. A gente terminou, mas foi razoavelmente tranquilo e decidimos continuar nos falando. Nós dois somos adultos, não é porque discordamos de alguns pontos que precisamos deixar de apreciar a companhia um do outro pra todo o sempre.
E é aqui que sou obrigado a voltar pro começo do nosso namoro. Porque apesar de termos iniciado o namoro cada um com mais de 30 anos, perdemos a virgindade juntos. Crescemos sexualmente juntos. Aprendemos tanto juntos! Eu mais ainda, visto que era meu primeiro namoro. E eu reclamei muito aqui da minha ex (e ela realmente tem os defeitos muito marcantes dela), mas eu também preciso admitir que ela em muitos momentos foi tão minha parceira, minha confidente, minha amada. Eu passei calado por todas as situações que eu já descrevi aqui e muitas outras tão ruins quanto porque, no fundo mesmo, pra mim estava valendo a pena. A gente tinha intimidade, apesar da dificuldade extrema dela de se abrir pra mim. Eu estava sacrificando meu bem estar mental e físico para sustentar o nosso relacionamento.
Tanto que só perto do final do nosso relacionamento que ela assumiu pra mim a atração por outras mulheres. Eu entendo ela, tem gente que não reage bem à isso. Eu tenho certeza que a família dela não reagiria nada bem. Entendo que era um segredo que ela queria deixar só pra ela, e que mesmo com toda a intimidade sexual que a gente tinha, ela também tem o direito de manter coisas só pra ela. É justo.
Só que eu não fiquei com raiva, nem com medo de ela querer me trocar por uma mulher, nem tive essa ideia fetichizada de transar com duas mulheres ao mesmo tempo. Eu sou um cara hétero, mas eu acho o amor lésbico de uma sensibilidade e de uma beleza inexplicável. Eu sempre me sinto mais seguro perto de mulheres, sempre me conecto mais com elas. Desde pequeno eu gosto da presença feminina. Então a ideia de duas mulheres partilhando um relacionamento, parece uma coisa quase mágica pra mim. E de novo, não é nada sexual nem fetichizado, eu realmente só acho muito bonito mesmo. Então qual foi minha reação quando descobri que minha ex tinha vontade de viver isso que eu acho tão incrível? Incentivei ela à correr atrás disso.
Mas é claro que ela, criada numa família extremamente católica, iria simplesmente sair atrás de uma guria do dia pra noite. Foram meses de conversa, de aceitação da parte dela também, de entender que ela não era uma aberração da natureza porque sentia atração pelo mesmo sexo (e também pelo sexo oposto). Nossos últimos meses juntos foram repletos de muitas conversas relacionadas ao mundo LGBT+ e afins. Acho que nós dois também já sabíamos que as coisas não estavam mais super bem entre nós, e que era questão de tempo até a gente se separar. Nosso relacionamento estava bem desgastado mesmo. É estranho porque a gente consegue ser extremamente forte pra parceira quando ela precisa ir correndo pro hospital, ou tem uma crise de pânico, ou não se sente segura na rua e precisa que você pare o seu dia para fazer companhia à ela - mas parece perder a motivação quando essas situações se normalizam e você percebe que talvez aquela pessoa simplesmente não tem a proatividade de te mandar uma mensagem perguntando "como foi seu dia", e de alguma forma sempre está online no whatspp. Sim, nosso relacionamento acabou. E foi bom ter acabado. Eu precisava desse término, muito mais do que eu precisava de uma namorada.
Mas também é muito bom saber que aquela pessoa por quem você passou anos cultivando um sentimento também está vivendo a vida dela. É bom saber que dá pra gente marcar um dia pra devolver as roupas dela que ficaram aqui em casa, sem drama, sem dor de cabeça. Ela foi muito madura no término, eu também. De certa forma nosso namoro acabou, mas continuou como uma amizade - bem menos intensa, bem menos problemática, bem mais fácil de lidar. Mas também sem as partes boas, sem aquela sensação de que se está ajudando a pessoa. Mas é muito mais do que milhares de pessoas separadas têm hoje em dia. Não posso reclamar, eu tenho muita sorte.
Eu só queria mesmo poder partilhar com ela a experiência da descoberta homoafetiva dela. O que não vai acontecer, já que ela já deixou claro que não é obrigada a revelar nada da vida pessoal dela agora que nosso relacionamento terminou - e ela tem total razão nisso. Eu sei disso, eu concordo com isso, e ao mesmo tempo eu acho que ela está sendo tão injusta por me negar esse fato.
Eu sei que não justifica, mas eu me dediquei tanto ao nosso antigo relacionamento juntos. Tive que entender que eu não estava mais sozinho no mundo, eu tinha alguém pra dividir o mundo comigo. Eu tive que aprender a baixar minha guarda, contar o que me dava medo, me expor totalmente à alguém, me desconstruir inteiro. E isso é muito difícil pra mim. Eu sei que ela não me deve nada, e eu sei que eu sou um idiota por me apegar tanto à esse motivo tão besta. Mas isso é realmente importante pra mim. Tem uma coisa dentro de mim que é ansiosa em saber se minha ex está se sentindo acolhida por uma outra mulher, se teve uma boa primeira experiência. De novo, eu sei que soa muito trivial, mas é uma verdade tão grande dentro do meu coração que me faz querer chorar quando lembro que isso nunca vai acontecer.
E não tem nada que eu possa fazer a não ser aceitar. E é exatamente isso que eu venho tentado fazer, pelos últimos 6 meses.
submitted by _powerguido_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.30 17:24 zer0cu Não acredite em tudo q lê

Estou sempre atento. Não tiro o olho da mulher que eu converso. Isso jah me proporcionou coisas ruins, calcinhas e peitinhos q n queria ver e os q eu queria
Uma vez meu amigo me convidou para ir na casa de duas minas. A ideia era eu enrolar a amiga enquanto ele tentava comer a outra. Fomos e chegando lá a primeira coisa que vejo eh ela de mini saia sentada de forma q me mostrava a calcinha. Fiquei louco
Lah aconteceu exatamente como ele planejou. Depois de muito truco e birita ele conseguiu levar a garota para o único quarto
Fiquei na sala c/ minha nova amiga. Trocamos muita conversa. A conversa foi tanta q ela deitou no meu colo. Obviamente dava para perceber meu pau duro que não dava mais para esconder. Estava a uma língua de distância quase saindo pelo cós do jeans. Dava ateh de ver ele
Conversamos sobre td e tarde da noite deitamos de conchinha. Meu pau encaixou perfeitamente naquele rabo maravilhoso. Tentei enfiar as mãos entre as coxas e ela disse que não pq estaca menstruada. Dormimos
Logo pela manhã meu amigo me acordou pedindo minha camisa pq a dele embaixo ficou manchada pq a guria estava menstruada. Emprestei e eles saíram para o shopping almoçar
Acordei a menina e perguntei se queria ir. Ela declinou e prefeita ficar em casa. Ficamos na cozinha fazendo batata frita e sanduíche. Sempre que eu podia eu a encaixava. Ela participou e aprovou a galinhagem
Saciados da fome eu fui tomar banho. Ela entrou no banheiro, deu uma mijada caprichada e umas olhadas. Disse para ir dormir na cama com ela pq a gente estava td quebrado do sofá
Banhado e cheiroso fui para a cama. Quando entrei no quarto ela jah disse que ia me dar algo q nunca deu p/ ninguém. Ok, maravilha. O que é?
Posso comer e amar tds as mulheres do mundo mas nunca esquecerei esse rabo virado para cima com a marca do biquíni em V apontando ENFIE AQUI terminando bem naquele cu gostoso.
Não enfiei a língua com medo de perder a oportunidade. Meti cuspe na mão e pau no cu. Como doia muito ela pediu para tomar o controle. Esperei calmamente ela ir rebolando enquanto empurrava a bunda para trás envolvendo meu pau. Bombei com calma e gozei gostoso. Virei ela de frente e fiz um frango assado anal, gozei gostoso de novo e ela me acompanhou
Fomos p/ o banho e eu nem pedi, comi ela de frente em pé. Se tem uma gozada que deixa a gente fraco é essa. Em pé de frente suga tds nossas energias
Fomos para a cama e comi ela em todas as posições. Gozei 14 vezes em 8h. Meu pau esfolou e virou uma pereba na semana seguinte. Soh podia punhetar c/ 2 dedos
Moral da história: N acredite em td q lê. Quem escreve artigo que o homem goza e fica mole eh pq nunca arrumou uma boa parceira.
submitted by zer0cu to sexualidade [link] [comments]


2020.08.25 16:18 gostodesushii SÓ UMA REBOLADINHA

Olá Luba, editores, gatos e gatas, turma, falecidos papelões e não possível convidado. Era mais um dia normal na minha vida de estudante do 3° ano do fundamental, o intervalo tinha acabado e por algum motivo que eu não me lembro a professora não estava na sala e nós (crianças) ficávamos muito eufóricos depois do intervalo. Nossa classe estava um caos sem a professora e ela já estava demorando bastante. As meninas tiveram a ideia de fazer uma competição de dança pra ver quem rebolava mais. Todas estavam na frente do quadro e a porta ficava na mesma parede desse quadro. As meninas começaram a dançar e eu fui na onda também, chegou um momento que eu comecei a rebolar (com a mão no joelho e tudo mais), todo mundo tava me encarando eu estava amando muito aquela atenção, até que as meninas correm para se sentar em seus lugares e todo mundo fica quieto. Acontece Lubixco que eu estava tão concentrada em mostrar meus dotes em rebolar que nem percebi quando eu era a única que estava em pé na frente de todos com a mão no joelho e descendo até o chão. Levou alguns segundos pra eu perceber estava todo mundo com uma cara estranha, olhando pra um ponto fixo atrás de mim. Foi quando eu me toquei e olhei pra trás. Por que eu fiz isso Lubinha? A professora estava encostada na porta me encarando com um olhar debochado. Todo mundo riu da minha situação e ela comentou algo do tipo "então é assim né senhorita Carol, peguei no flagra". Depois disso voltei pro meu canto e fingi que nada tinha acontecido. Mas a vontade que eu tinha era de me enterrar. É isto turma. Hoje em dia já não rebolo mais na frente da classe. Bom dia, boa tarde, boa noite e boa madrugada.
submitted by gostodesushii to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.17 22:26 Nabi_Cherry "Errado não sou eu ter sido transfóbico, errado foi você por ter um amigo que se veste de mulher" (Parte 2)

Bom, eu não sabia se iria trazer a segunda parte, mas vocês gostaram bastante, eu agradeço demais pelo apoio ♡♡.
Enfim, depois daquela noite, eu não deixei de falar com Rainara. Meu pai se comportava como se nada tivesse acontecido, então depois de algum tempo, ele finalmente havia parado de falar cocô. Eu obviamente não havia obedecido a ordem de meu pai sobre não poder ver Rainara, então, eu iria para a casa da minha amiga onde Rainara estava morando sempre que podia. Na primeira vez que fui depois daquela situação na minha casa, fiquei horas conversando com ela. Era óbvio que Rainara havia ficado chateada, quem não ficaria? Ela disse que aquilo doeu por ser meu pai que havia dito aquelas coisas, afinal, era como se tivesse ouvido tudo aquilo de seu próprio pai novamente.
Depois daquele dia, eu resolvi ter uma conversa com a minha mãe, ela tem uma mente bem mais aberta que o meu pai. Expliquei para ela basicamente o que é a transexualidade e que isso nem sempre está relacionado a sexualidade. Minha mãe entendeu e disse que ajudaria Rainara com o que precisasse.
Bom, como eu havia dito, a cidade é pequena e consevadora, então, os pais passam os ensinamentos e até alguns pensamentos para seus filhos, e na escola não era diferente. Muitas pessoas atacavam Rainara, o que a fez mudar para a minha escola (nós estávamos em escolas diferentes, ela numa particular e eu numa técnica). E nessa minha escola, todo mundo sempre foi muito unido e todos aceitaram Rainara de braços abertos. Com direito a uma pequena festa de boas-vindas.
O carinho para com Rainara era tão grande, que planejamos uma festa de aniversário para ela. Decoramos a sala com bandeiras lgbt e trans, luzes pisca-piscas e algumas fotos dela com a turma, as tuas da cozinha fizeram bolo, a mãe de uma aluna deu salgados, e casa um trouxe um refrigerante. E quando ela viu, ela se emocionou tanto que chegou a chorar. Ela disse que nunca havia se sentido amada em sua vida e agradeceu pela festinha. Aquele dia foi incrível e isso me deu uma certa ideia, que poderia mostrar para as pessoas que não havia nada errado em ser LGBTQ+.
Essa ideia basicamente se consistia em usar nossa festa da Primavera (Na minha escola tinha festas para as estações do ano, nunca entendi o porquê, mas era muito legal), e por ser nosso último ano, seria de gala. As meninas iriam usar terno, e os meninos iriam usar vestido. Pode parecer bobo, mas sabíamos que iria dar no que falar...
Bom gente, é isso. Eu espero que tenham gostado, a última parte vou postar amanhã. Muito obrigado!
submitted by Nabi_Cherry to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.15 18:08 BrunaTimb O dia que minha mãe provou ser alguém incrível (e o dia que minha tia se arrepende amargamente)

Essa história aconteceu há 25 anos.
Minha tia mais velha na época tinha uns 70 anos. Ela nunca casou e sempre viveu no interior e cuidou dos 11 irmãos e irmãs e dos pais quando eles ficaram velhos. Ela sempre foi uma “mãezona” e eu a via como uma avó amorosa. Com a morte dos meus avós (pais dela e de minha mãe) ela se viu sozinha em uma casa enorme e afastada de todos.
Então ela teve uma ideia, adotar uma criança para ter companhia e cuidar, já que ela sempre gostou de crianças. Todos adoraram a ideia, porém como ela já tinha uma certa idade, ficou decidido que minha mãe cuidaria da criança durante o primeiro ano de vida e depois minha tia ficaria com ela. Tudo certo.
Alguns meses depois uma mulher abandonou uma bebê no hospital da cidade. Imediatamente entraram em contato com minha mãe e ela “adotou” a menina.
Minha tia ficou radiante quando soube da notícia. Lembro até hoje o dia que a bebê chegou lá em casa, usando apenas um trapo para cobri-la pq nem fralda tinha. Nessa época eu tinha 8 anos. Minha mãe comprou tudo. Cuidou da menina como se fosse sua filha. Então uns 3 ou 4 meses depois levou a bebê para que sua futura mãe a conhecesse.
Quando minha tia viu a menina sua expressão foi de felicidade a desgosto em um instante.
“Eu não quero essa negra aqui.” – foi o que minha tia disse ao ver a menina nos braços de minha mãe.
Minha mãe disse que foi como se o chão tivesse cedido sob seus pés. Minha tia nem tocou na criança, não a quis pelo fato da menina ser negra. E agora? O que minha mãe iria fazer com 3 filhos e agora mais essa bebê não planejada? Jamais passou pela cabeça dela abandonar ou “devolver” uma criança. Ela estava desesperada. Ela não teve coragem de dizer aquilo a ninguém na época e voltou para casa como se a visita a minha tia tivesse sido um sucesso. Foi então que ela teve uma ideia.
Em uma noite, como quem não quer nada, enquanto meu pai segurava a bebê nos braços, ela perguntou:
“Amor e se nós ficassemos com ela? Ela é tão linda e boazinha... O que você acha?” – por fora ela estava sorrindo para meu pai, mas por dentro posso imaginar toda a angustia que ela deveria estar passando.
Meu pai olhou sério para ela, olhou para a bebê em seus braços e abriu um sorriso de orelha a orelha!
“Ainda bem! Eu amei ela! Vamos ficar sim! A gente se aperta aqui em casa, mas comida não vai faltar”
Minha mãe disse que na hora sorriu e depois foi para o banheiro chorar de felicidade e alívio.
Ela só revelou toda essa história a família muitos anos depois e não houve brigas nem nada do tipo, mas passei a ver minha tia com outros olhos.
Hoje minha tia está MUITO velha e sendo cuidada por uma sobrinha dela, passou a vida só.
Minha irmãzinha mais nova tem 25 anos, é uma excelente professora e é o xodó do meu pai, vive com eles e provavelmente é quem cuidará dos dois quando a velhice chegar. Nós a amamos e eu não imagino como seria minha vida sem essa pessoa irritante para crescer junto comigo.
PS.: Foram ANOS até minha mãe finalmente conseguir a adoção oficial de minha irmã, mudar seu sobrenome e tudo mais. Mas no final, deu tudo certo!
submitted by BrunaTimb to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.15 04:48 Marilegal Minha tia foi babaca por por pedir para se hospedar na casa do meu primo?

Olá, turma... Quero contar essa história da minha tia, que inclusive é muito fã do Luba, mas não tem coragem de contar a besteira que fez (pelo menos é assim que toda nossa família vê). Já eu... Tenho muita coragem... E aqui estou. A história também serve como aprendizado da importância de guardar os e-mails.
Anos atrás, um primo meu estava morando na Inglaterra. Ele e a esposa tinham consigo emprego lá. No entanto, naquele tempo eles tinham uma filha de quatro meses, morando em um cubículo. Só para ter uma ideia, o armário das fraldas ficava na sala. Ainda sim ele dizia que valia a pena, pois ele estava na Inglaterra.
Pois bem. A história começa quando minha mãe juntou dinheiro e decidiu ir para Inglaterra pela segunda vez, porém ela sabia da dificuldade de se hospedar na casa dele. Então, três meses antes da viagem ela mandou um e-mail para meu primo falando que iria viajar para lá, mas que não ficaria na casa dele por respeito e que se hospedaria no hotel mais perto da casa dele que ela pudesse pagar. A única coisa que ela pediu que se possível que eles se vissem no jantar. Resumo: A viagem foi perfeita.
Passa-se três anos. Agora meu primo tem mais um filho, ficando agora com uma menina de quase quatro anos e um garoto com seis meses e todos no mesmo cubículo. Dessa vez é minha tia que iria viajar para lá. Em um almoço de domingo, faltando um mês para a viagem, estava minha mãe e a mãe desse meu primo na casa dessa tia. Ela comenta da viagem e em seguida minha mãe comenta que vai passar para ela os dados do hotel que ela ficou para ela se hospedar. Minha tia achou estranho e minha outra tia (mãe do primo) sacou o que estava acontecendo. A noite, a mãe do meu primo liga para ele pedindo para não deixar ela ficar na casa dele. Ele conta que ela já pediu e ele já deixou. A briga começou. Meu primo liga para minha mãe dizendo que ela devia ter pedido para ter se hospedado na casa dele. Minha mãe dá a resposta épica dizendo que ela não pediu por educação, que se pudesse ter ficado, ele devia ter dito na época quando ela mandou o tal e-mail e que qualquer coisa ela poderia mostrar o e-mail para ele novamente, pois ela havia guardado. Dai, toda família ficou contra a minha tia que por se oferecer para ficar na casa do meu primo e minha tia fez de tudo para vender as passagens e desistir da viagem (ela não tinha dinheiro para pagar o hotel). Final da história: Ela fez a viagem chorando sangue, se hospedando em um hotel com o dinheiro emprestado do ex marido rico que o filho ligou pedindo ajuda.
Eu considero que minha tia foi babaca. E vocês da Turma?
submitted by Marilegal to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.10 18:46 HannaK-Chan " não é preconceito, isso só não é certo "

Bom dia , boa tarde, boa noite, essa história vai ser um pouquinho longa pq ela aconteceu quando eu tinha 10 anos, então como faz um tempo eu vou tentar explicar tudo.
25 de dezembro de 2018
Era natal eu tava na casa dos meus tios junto com os meus primos etc..., ate que eu acidentalmente ouço um grito vindo do quarto da minha tia, e como toda criança endemoniada fui ver oque tinha acontecido, e minha tia tinha visto um pé de baixo da cama (obs: meus primos tavam brincando de esconder (não sei como chama na sua cidade ;-;)e o meu primo vamos chamá-lo de reinauro, estava lá se escondendo).
Ok né ai a minha tia chegou na cozinha e disse que tinha eu pé de uma criança de baixo da cama dela, todos assustados foram ver oque tinha acontecido, POUREM!, Meu primo tinha saído dali e foi pra outro lugar , então a minha tia saiu como "mentirosa".
Depois de umas 2 horas onde ja era quase meia noite, agente decidiu ir jantar e como qualquer família religiosa eles queriam rezar mais eu como sou um demonio e nunca gostei disso, tive a brilhante ideia de "rezar" de um jeito diferente.
Todos estavam rezando, (obs: minha família e bem homofóbica, no entanto que quase fui expulsa de casa ontem, porque eu tenho uma crush na minha "amiga" e minha mãe leu as minhas mensagens que eu tinha mandado pra minha crush.) todos estavam rezando, e eu tive a brilhante ideia de gritar que eu era lésbica. Mano me arrependo ate hoje de ter feito isso ,__,)"
A minha avó começou a expulsar o "demonio" que estava em mim, minha tia me tacou água, minha mãe me bateu , meus primos estavam tentando me proteger dos chingamentos e agressões que os meus familiares faziam em mim.
Depois de uns 6 dias nós estamos na véspera do ano novo.
31 de dezembro de 2018
La estava eu na casa dos meus tios novamente,com aquele clima pesado na família por uma brincadeira que na verdade é verdade eu sou lésbica mesmo assumida, nenhum famíliar falou comigo exceto meus primos e ainda sim meus tios não queriam que eles entravam em contato comigo,estava na maldita hora da oração e quando eu fui me aproximando eles não queriam me encostar,ate aí é estranho e tals mais eu fui tentar puxar assunto com eles:
-oi gente pq vcs não voltam ao normal e param de ser preconceituosos?
-tia: não é preconceito, isso só não é certo!, Mulher tem que ficar com homens não com outras mulheres!
-mas quql é o problema em gostar de meninas?
-tia: isso não está na biblia!,deus não aceita isso!
-ok mais deus não gosta da gente pelo oque agente faz? Nunca falou na bíblia que não pode ser desrespeitoso com o próximo?
Minha tia só se sentou na mesa e a família inteira me inguinorou este dia, so passei com meus primos que sempre me apoiaram.
Foi isso lubinha é uma história triste mais hoje eles estão de boa comigo, provavelmente eles esqueceram oque aconteceu...
Tchau qwq ✨♥️
submitted by HannaK-Chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.02 02:44 camillesteam1 Sou Babaca por desobedecer a minha mãe (Calma que tem contexto)

Oi lubixco, Gatas, Editores e Pessoas que estão respeitando o isolamento (Quem não está, Vai pra casa do caralho :D). Está História começou em 2016,eu tinha criado um canal no youtube de games. Quando minha mãe descobriu ela mostrou para todos os amigos dela, o que resultou em 50 inscritos em menos de 1 mês. Eu fiquei muito feliz e postei vários vídeos, e depois eu descobri um aplicativo de criar seu personagem e depois poder fazer sua própria história. Eu amei o app e postei vários vídeos criei a minha história e postei MUITOS vídeos da história. Depois eu fui pesquisar MEP (Um tipo de vídeo que cada pessoa escolhe uma parte da música escolhida e quando todo mundo faz sua parte eles juntam e fazem um vídeo só. E não, não é o mesmo que collab é só pesquisar por MEP Complete), Eu achei, e foi aí que a merda começou. Eu acabei virando uma amiga virtual desse canal. Logo depois eu vi um comentário de uma menina e ela disse que a amiga dela era uma grande fã minha e queria que eu me inscrevesse no canal da amiga dela. Eu acho que eu fiquei mais feliz que a fã quando viu meu comentário no vídeo dela porque eu pensei: EU TENHO UMA FÃ DE VERDADE NÃO AMIGA DA MINHA MÃE! Então fiz o que a amiga da menina pediu e acabei virando amiga da menina também, e essa foi a parte 2 da merda acontecendo. Depois de um tempo os dois me mandam link para eu aceitar conversar com os 2 no chat do youtube e eu aceitei porque eu tinha mudado de escola e acabei me ferrando como: não consigo falar uma frase sem palavrão e coisas erradas, no segundo dia de aula me chamaram de pegadora porque supostamente achavam que eu dava em cima de todos os meninos e tinha muita dificuldade de achar amigos pelo o meu antigo jeito de imaturidade, parte 3 da merda acontecendo. Depois de meses conversando minha mãe descobriu e me proibiu de falar com eles mais a minha insegurança não deixou e eu continuei. E isso se repetiu VÁRIAS vezes até o dia que a minha mãe se irritou, mais do desespero que bateu em mim naquele dia, e então eu só pensei ´´Fudeu``. Naquela noite eu chorei pra K7 principalmente porque eu já não tava bem mentalmente então eu só me culpei mesmo não sendo TÃO minha culpa porque a minha mãe sabia que eu não tava bem e ainda assim falou mal de mim e que eu era uma criança idiota. Então ela pegou meu computador e meu celular por uns 4 meses mais 2 meses antes eu exclui o canal para continuar me culpando de 1 ano e meio de esforço e 200 inscritos pro lixo, e minha mãe ignorando. E Ignorando as pistas que eu piorei mentalmente e a minha ansiedade e falta autoestima ficaram maiores. Meus pais são divorciados então minha mãe namora um Machista que tem um filho que provavelmente vai crescer achando que a mulher é apenas um item para aliviar a sua vontade, e meu pai tinha terminado com uma mulher falsa pra K7(um dia eu posso explicar o porque ela é falsa porque tem uma histórinha por trás). Então um dia eu fiz um dia só com o meu pai porque ele queria me dar um cartão de crédito e conversar sobre responsabilidade, mais depois a minha mãe liga para mim e começa a falar indiretas para o meu pai que ele era um péssimo pai. Então o meu pai puto ele desabafou sobre a minha mãe. O meu pai falou que ela já jogou café, água e outras coisas no meu pai e ele não falou o motivo e que cada vez que ela namorava ela só concordava com tudo que o namorado dizia,podia ser machista, homofóbico ou racista, sempre achei que tudo que a minha mãe falava sobre o meu pai não era um bom pai era verdade mais acabei descobrindo que era ao contrário. Minha mãe ODEIA pessoas que tem um pensamento diferente dela e ela é bolsominion que acredita na salvação do mundo com Cloroquina
(Podem achar que é Drama mais mesmo vocês pensando isso a minha ansiedade não vai melhorar pelo contrário, só vai piorar e não vai fazer minha mãe mudar de ideia)
Então, Sou babaca por desobedecer a minha mãe sobre falar com estranhos ou a Minha mãe foi babaca por não se preocupar com minha saúde mental?
submitted by camillesteam1 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 19:16 nice_psicopata O dia que terminaram comigo por fazer o ENEM

Uma saudação a todos os leitores supimpesas que estão lendo essa historia desse cara que só se fuuuu.
uma saudação ao Luba que é um cara incrível que já vejo os videos desde a época que ele jogava life is strange(talvez tenha um bom tempo mas enfim) ,aos possíveis convidado que não faço ideia de quem possa ser mas se esta com o Luba sei que é incrível porque ele não convida gente sem graça, aos editores que trabalham duro é que merece muito respeito, as gatas que são muito fofas e igualmente incríveis e por fim mas não menos importante uma saudação a essa comunidade super supimpa do que acompanha o Luba.
Hoje eu vou contar uma historia que parece mentira mas realmente minha ex terminou comigo por eu querer fazer a prova do ENEM, nem sei por onde começar mas vamos pelo inicio eu conheci uma menina pela internet que morava na cidade vizinha ficava uns 40 km de distancia, não é uma distancia grande para o amor, pelo menos para mim tava de boa e eu não achava ruim isso, claro que a distancia atrapalhava algumas coisas mas isso é normal por exemplo eu só podia ver ela no fim de semana, mas como meu trabalho era puxado mesmo se ela morasse perto ia ser assim,ate ai tudo bem, mas o problema começou quando eu percebi que ela era meio preconceituosa ela não assumia mas ela tinha uma vizinha que ela vivia enchendo o saco só por ser negra, eu sou muito contra preconceito seja ele de qualquer tipo, mas não falava nada sobre isso porque eu gostava muito da minha ex e não queria magoar ela(eu só ficava quieto não ajudava nem atrapalhava) e isso foi desgastando o amor
outra coisa que foi desgastando a relação foi que por mais que eu elogiasse ela não bastava ela sempre queria que eu elogiasse mais, ela dizia que por ter depressão ela precisava de muito elogio e que eu como namorado dela eu devia elogiar mais ela por que se eu não elogiar os outros iam elogiar e eu iria perder ela, ela também queria que eu postasse foto com ela direto mesmo eu nem mexendo nas redes sociais desde que as redes sociais ficaram lotadas de extremistas eu não tenho mais paciência parei de mexer em rede social mas mesmo assim eu precisava postar foto com ela pelo menos uma vez por semana,
Eu ia todo fim de semana ver ela e deixava todo meu salario com ela e mesmo assim ela reclamava que a gente não fazia nada, e mesmo com tudo isso eu amava ela e não a-abandonava(eu fiquei com ela por 1 ano e 11 meses), mas oque foi o ápice para o termino foi o ciumes demasiado, eu nunca trai ninguém acho traição algo imperdoável, mas ela não deixava nem eu jogar (nem offline) por que ela achava que eu ia trair ela com o jogo, eu acabava jogando escondido mas quando ela descobria ela ficava uma fera e falava que ia terminar fazia da minha vida um inferno e isso ficou pior quando chegou perto do ENEM do ano passado se eu estudava de noite ela achava ruim(era o único momento que podia estudar já que eu trabalhava o dia todo e o fim de semana estava com ela) eu fiz do mesmo jeito que fazia com os jogos falava que ia dormir e ia estudar eu me acabei fazendo isso porque o cansaço só ia acumulando e eu ia trabalhar destruído mas continuava com ela porque no fim eu amava ela, mas meu amor não resistiu ao fato dela ter marcado uma cirurgia no fim de semana do ENEM para eu não poder fazer a prova, ela sabia que eu ia fazer a prova e que eu ia acabar não podendo ver ela em dois fins de semana seguidos por conta da prova então ela marcou a cirurgia e falou que se eu não acompanhasse ela podia considerar que o namoro tinha acabado, como eu já tava com o amor abalado por varias situações eu acabei falando que tudo bem que ela podia terminar comigo ela me bloqueou no whatsapp e eu como tava muito triste fui no meu face e no meu insta e apaguei todas as fotos e tirei o status de relacionamento serio, no dia seguinte uma menina começa a me seguir e me chama no direct achei isso muito estranho porque como disse nem mexo em rede social mas quando olhei o perfil vi que o insta tinha sido criado recentemente, logo entendi que era um fake dela, mas dei trela para ver ate onde ela ia(maior erro que podia ter cometido), no fake ela se fingia de lésbica e falava que tinha errado com a namorada dela e que iria fazer de tudo para se desculpar e tentava me induzir a fazer o mesmo(se não entendeu ela queria que eu pedisse desculpa por ir fazer o ENEM e não ir ficar com ela) e ela também ficava toda hora querendo que eu assumisse que tinha traído ela mesmo eu nunca tendo traído e a conversa se prolongou ate eu falar tudo que eu pensava, tudo que foi me desgastando, tudo que eu tinha guardado para mim sem falar para ninguém e depois disso ela me desbloqueou do whatsapp só para me xingar e falar que eu não podia ter feito isso com ela porque ela tinha depressão e que ela tinha sido muito boa comigo por ter me perdoado toda vez que ia ou estudar ou jogar escondido dela e que ainda eu tava errado der ter falado dela do jeito que eu falei para alguém que eu nem conhecia (mesmo eu nem ter citado o nome dela na conversa assim como estou fazendo aqui) e isso era umas três semanas antes do ENEM e se você pensa que acabou esta bem enganado
uma semana antes do ENEM ela falou com minha madrasta que mora em outro e as duas vieram falar comigo meio que me forçando a voltar com minha ex eu só ignorei fiquei bravo e não voltei mas isso me deixou muito mal ao ponto de sair muito mal no ENEM a assim não consegui tirar uma nota boa
com todo esse problema dessa pandemia vim morar com meu pai e minha madrasta e a melhor parte foi agora quando cheguei aqui ela pondo musica da minha ex para tocar(obs.:ela é cantora) para me deixar triste por não ter voltado com minha ex e para me mostrar que agora ela ta bem sem mim e eu continuo sendo um merda
bem essa é minha historia se você leu ate aqui obrigado eu sei que é uma historia horrível mas é minha vida né fazer oque
submitted by nice_psicopata to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.20 20:04 choco-menta Desilusão amorosa, primeira e única

Olá Lucas, gatas, editores e turma/chat que está a ver. Essa é a história de como o amor me fez de trouxa pela primeira e, até agora, única vez.
Obs.: Todos os nomes que eu cito na história já foram censurados.
O começo dessa história data de junho de 2011. Era o dia da festa junina do meu colégio e eu ainda estava no terceiro ano do fundamental. Os alunos do primeiro até o quinto ano eram convidados a participar das apresentações de quadrilha a troco de um pequeno bônus na nota e uma boa humilhação pública. Para aquele ano, nossa turma ia apresentar aquela clássica performance do casamento e, pra não ser injusta com nenhum par, todos nós que resolvemos participar íamos nos casar. Sendo assim todas as meninas estavam vestidas à caráter, como pequenas noivas — eu inclusa. — e os meninos com um traje estereotipado caipira: calça jeans, camisa xadrez e chapéu de palha.
Antes dos ensaios eu nunca tinha tido muito contato com o meu "noivo", vou chama-lo de João, e o conhecia apenas de vista. No entanto, a dança nos aproximou e ficamos bastante amigos. No final das aulas, enquanto esperávamos que nossos pais fossem nos buscar tínhamos conversas até que produtivas para crianças de apenas oito anos.
Ele foi o primeiro menino que eu cheguei a considerar meu amigo e não demorou muito para que minhas irmãs fanfiqueiras enchessem o meu saco dizendo que aquilo era mais que uma amizade. Se não fosse por elas, minha cabecinha inocente não teria visto nada de errado em casar com o garoto por um dia apenas, mas após as insinuações delas eu passei a enxergar o que tínhamos por outro ângulo e não gostei muito do que vi.
Meu pai sempre foi do tipo protetor, daqueles que diz que namoro é coisa para depois da faculdade e na época eu fiquei apavorada pensando que estava o desobocendo só por ser gentil com o garoto. Foi aí e por conta disso que me decidi: após o casamento, eu ia querer o divórcio.
Na noite da festa eu me concentrei em me divertir e na dança. Mas, mesmo me divertindo à beça, eu ainda sentia que estava fazendo algo de errado e segui firme naquela ideia.
Ficamos cinco anos sem nos falar. O fato de que nunca mais caímos na mesma turma ajudou. Também não tínhamos um amigo sequer em comum. Na real, um dos amigos dele era o Miguel, um menino que praticava bullying comigo e com praticamente a escola inteira. Na época eu considerava bullying porque ele dizia em forma pejorativa, mas hoje em dia se me chamarem de "Lady Gaga" de novo eu irei aceitar como elogio. E não precisa cancelar ele, o Miguel é importante para a história e só estava por um período de auto-aceitação (na verdade ele é little monster).
Além disso, muita coisa mudou em cinco anos. Em 2012, por exemplo, foi o fim do meu mundo. Não que seja importante pra história, mas ninguém morreu, além do amor entre o meu pai e a minha mãe.
Indo para 2015, eu e Miguel fomos colocados na mesma turma. Eu pensava que seria um inferno, mas o excesso de convivência — seis horas por dia, cinco dias da semana. — fez com que virássemos amigos. E, sendo amigos, eu passei a andar com os amigos dele e ele com os meus.
E dentre os amigos dele estava o João, meu ex-marido. E, com quatorze anos, o tempo foi esclarencendo para mim o que eu sentia por ele. Tivemos conversas ainda mais interessantes, trocávamos indicações de livros, séries e músicas. Ficava cada vez mais claro para mim que aquela era uma amizade que eu não iria querer desperdiçar ao fazer a burrada de me declarar. Na minha cabeça, fazia muito sentido que eu deixasse tudo como estava: e se ele não sentisse o mesmo? E se não durar? Meu pai nunca que iria deixar mesmo.
No Ensino Médio, cada um seguiu seu caminho e foi para uma escola diferente. Em estados diferentes, inclusive. Mas, no fundo, eu acho que sempre haverá uma parte de mim esperando pelo universo fazer uma forcinha e nos coloquar frente à frente mais uma vez, ainda que para trocar mais indicações de cantores e seriados. E depois da faculdade, de preferência.
Soquinho no cotovelo e <3
submitted by choco-menta to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 05:02 NicolasSchieberwein Sou o babaca por acabar com o relacinamento do meu melhor amigo ( que sou apaixonado )?

Oiee Luba, editores, turma, gatas e espiritos que nos rondam, eu sou o N e a uns dias atrás postei uma história que aconteceu na minha vida, as pessoas nos comentarios disseram para eu fazer uma coisa, eu fiz e agora estão me chamando de babaca, e quero que vc me digam se realmente fui , por que me recuso a afimitir isso (eu odiaria ter que pedir desculpas por isso).
( Desculpa se ficou muito longo, mas vale a pena)
Contesto/ História: No começo do ano uma menina L pediu para ficar comigo e eu recusei, L disse que se eu ñ ficasse com ela eu me arrependeria, pois passaria a vida inteira virgem, eu disse que preferia passar a vida inteira virgem do que ficar com alguém como ela. (Isso obviamente deixou ela muito irritada).
Algumas semanas depois descobri que ela havia ficado com meu melhor amigo, o C, e sempre que possivel ficava se rossando nele, bem na minha frente.
Pedi para o C ñ adar mais com ela, pois achava que ela só estava com ele para me fazer ciúmes. Isso foi o estopim para uma briga feia, onde ele falou do fato de eu ser um "arrogante que só quer um cãozinho para amaciar seu ego inflando" (eu também ñ fui nada legal nesta discussão, mas eu ñ quero queimar o meu filme aqui).
Ficamos um tempo sem se falar até que L me mada uma foto dela e do C se beijando com a legenda, " Eu poderia ter sido sua, mas vc perdeu a chace", nesse momento entrei em desepero e chorei compulsivamente, foi nessa noite que me toquei que sou apaixonado pelo C.
A menos de uma semana postei essa história aqui, e muitos me disseram para que eu mandase um print do que ela me mandou para o C, pq essa era a prova de que ela só estava com ele para me fazer ciúmes. Estava com medo de piorar a situação com ele, então mandei por um fake.
No outro dia C me ligou disse que eu tinha razão e que alguém "aleatorio" que se dizia ex da L, tinha mandado uma mensagem falando que a L só estava com ele ( o C) para fazer ciúmes, além de algumas mensagens que ela mandou de biquíni ( sim ela ficava me mandando foto de biquíni [Obs: nós temos 13 anos]). Ele disse que confrontou ela e que ela ficou se contradizendo, primeiro disse que era mentira, depois disse que aquilo era antigo, assim ele percebeu que ela estava mentindo e terminou com ela.
Ele veio passar uns dias na minha casa, pq queria ficar comigo, ele eta muito chateado e deprimido, eu estou me sentindo mal por ele, mas acho que fiz a coisa certa (aliás estou tentando flertar com ele para ver se ele também curte meninos)
Enfim a dois dias atraz L me ligou, disse que sabia o que eu tinha feito, disse que realmente gostava do C ( o que eu ñ acredito, pq dias depois da mensagem deles se beijando, ela ficava me mandando foto na piscina ), ela também disse que eu era um egoista e que nem tudo girava em torno de mim. Ela também ligou para o C e disse que eu estava tentando acabar com o relacionamento deles e que eu tinha mandado os printz ( o que é verdade) e disse que todos eram falcificados ( o que é uma MENTIRA). O C ñ acreditou nisso.
Depois disso muitos amigos dela falaram que eu fui um babaca, pq ela disse que eu estava apaixonado por ela e que eu que mandava mensagens provocando ela ( provocando ela, mano eu tenho 13 anos e ainda gosto de my little pony, como eu provocaria alguém). Além disso a mãe dela ligou para os meus pais, falando que eu tinha seduzido a filha dela e que era para eu pedir desculpas, e convencer o C a voltar com a L, ela também disse que eu era um desequilibrado, e disse que era culpa da minha mãe ( por que minha mãe é tatuadora). (Meu pai mandou ela ir a merda).
Eu me recuso a pedir desculpa e adimitir que fui babaca, talvez o que eu tenha feito ñ tenha cido muito legal, mas era melhor contar para o meu amigo a verdade, por que se ele entrasse nesse relacionamento e se apagasse a ela mais ele iria se machucar.
Vcs acham que eu fui babaca? (Se eu fui a culpa é de vcs, vcs que deram a ideia "a mais foi vc que executou" ñ enche)
submitted by NicolasSchieberwein to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.17 05:03 PitchBlackMist [Muito longo] Oportunidades perdidas

Sinto que esse texto possa a vir a expressar uma certa arrogância e narcisismo, mas ainda assim quero escrever o que sinto.
Atualmente sou um jovem de 16 anos, nasci no interior de uma cidade pequena no sul do nosso Brasilzão. Meu irmão mais velho cuidou de mim quando pequeno (gostaria que fôssemos mais próximos hoje, mas esse não é o tema do desabafo), ele ensinou-me a ler e escrever quando eu tinha uns 4 anos. Cursei a pré-escola numa escolinha pacata com uma dúzia de alunos, inclusive ela fechou no mesmo ano que eu saí. Porém não reclamo disso, acho que foi bom pra mim, aprendi bons valores lá.
Em 2010 eu precisei trocar de escola, entrei numa escola de campo (a única próxima de minha casa, mesmo estando há 20km de mim). É uma escola pública, pequena, cerca de 150 alunos do pré até o ensino médio. Não tenho muito a reclamar do primeiro ao terceiro ano lá, eu tive acesso à internet desde cedo e gostava de procurar sobre dinossauros e o universo e falava disso com meus amigos, tanto é que eu ganhei o apelido de alienígena por isso (não era na maldade, até hoje alguns amigos me chamam assim). No segundo ano, inclusive, fiquei internado e perdi um mês e meio de aulas espalhadas ao longo do ano, mas eu tirava boas notas então fui aprovado assim mesmo, lembro de ficar irritadíssimo quando deixei de ganhar uma medalha numa olimpiadazinha da época.
Quando eu ingressei no quarto ano deparei-me com um repetente que, talvez como uma forma de lidar com a depressão que sofria após a morte do irmão, via-me como um alvo fácil para bullying. Eu era gordinho, chorava fácil, não sabia brigar, era mimado, era nerdão, o alvo perfeito, não? Até o sexto ano eu fui quase que constantemente bullynado por ele e mais um menino que não tinha nem mesmo vantagem física sobre mim, mas eu já tinha desenvolvido um complexo de inferioridade e acabava por me deixar ser abusado. Eu faltava muito às aulas, fingia estar doente, deixava de fazer o dever de casa, tive um péssimo desempenho durante esses anos, inclusive tentei suicídio aos 10 anos (foi uma tentativa boba de me enforcar com os lençóis que obviamente não funcionou, mas eu genuinamente desejava a morte). Como fuga da realidade eu recorria às redes, usava o computador de casa o máximo que podia para jogar Minecraft, Kogama, GTA:SA... O YouTube também servia-me como um grande passa-tempo, os 4 aventureiros foram a alegria da minha infância. Porém, meu irmão, no ápice de sua adolescência, dependia das redes sociais como forma de socialização já que moramos no interior, longe de qualquer pessoa da nossa idade além de alguns esparsos vizinhos que tínhamos, isso ocasionava muitas e muitas brigas porque eu era quase que dependente da internet pra fugir da realidade, e ele também dependia dela pra ter alguma vida social. Ele também passou por uma depressão profunda que ocasionava um comportamento agressivo, passamos mais de um ano inteiro sem dizermos uma palavra para o outro. Hoje ainda não somos mais tão próximos quanto quando éramos quando crianças, embora tenhamos superado essas diversas brigas.
Mas o tempo passou, no sétimo ano um dos bullies se mudou e o outro havia superado a morte do irmão, então eu não era mais abusado. Infelizmente, os últimos três anos de abuso na escola e em casa haviam mexido comigo; eu já não sentia mais prazer em estudar e, com meu irmão tendo um computador para ele mesmo, eu tinha acesso livre às redes e passava o dia todo jogando e vendo vídeos no Youtube, a única amizade que eu tinha era um cara que estudava comigo e que jogava comigo. Eu não reconhecia de verdade nossa amizade, eu via a realidade sob uma lente distorcida graças aos anos anteriores e não confiava em ninguém. Eu permaneci assim até o nono ano, em 2018; nunca fiz amizades reais fora da escola, nunca dormi na casa de outro amigo, só tive uma única amiga mulher, nunca pude experienciar a auto-descoberta e o início da sexualização do meu corpo junto à uma menina que estivesse passando pelo mesmo. Eu era manipulado facilmente nas redes, eu era radicalizado pela política aos 13 anos e desfiz a única amizade que tinha com uma mulher na vida real porque ela não apoiava o Bolsonaro. Eu também nunca dei meia foda aos estudos, nunca me importei em estudar; acredito que eu não aprendi quase nada no Fundamental II, eu não prestava atenção nas aulas, ficava conversando (com meu único amigo) e no celular a aula inteira, só estudava uma noite antes da prova ou no ônibus indo para a escola. Acredito que Deus tenha me abençoado com certa inteligência, pois mesmo fazendo tudo isso eu nunca peguei recuperação e quase nunca fiquei abaixo da média em uma prova. Claro, eu estudava em escola pública E de campo, não precisava ser nenhum gênio para isso, o conteúdo é de nível inferior quando comparado ao de uma escola decente ou, até mesmo, quando comparado com a escola pública média.
Eu não diria que tinha depressão, eu era ignorante do que deixava de experienciar, então nunca me importei... até entrar no ensino médio. Eu tinha um amigo virtual, que eu conhecia no Discord, ele aconselhava-me sobre a vida, ele me norteou e me ajudou a superar a ansiedade social que eu tinha na época. Ele é a razão de eu não ter continuado sendo o zumbi triste que eu fui durante o Fundamental II inteiro, ele me introduziu também à maravilha que é a MPB, coisa que eu jamais teria descoberto sem ele. Porém, eu tornei-me paranoico com doxx e deletei tudo que tinha online e, numa fase mais doentia minha, doxxei-o com base no pouco que lembrava dele e mandava mensagens pra ele com o seu nome real achando que era uma boa ideia. Sinto falta dele, mas já aceitei que não irei revê-lo, embora gostaria que ele me revesse agora, que estou num período mais saudável da minha vida e depois de superar todo o drama pelo qual ele me aguentou entre 2018 e 2019. No final do ano passado eu decidi mudar pra valer, e funcionou, eu sinto que sou uma pessoa muito melhor e que já superei a maioria de qualquer conflito passado pelo qual eu já passei e comecei a estudar por conta própria.
Este é, inclusive, o motivo pelo qual eu resolvi começar esse desabafo, mas ele acabou se transformando num resumo da minha vida, mas tudo bem. Minha escola é pública e ruim até para padrões de escola pública, mesmo assim, nunca tive dificuldades para passar de ano sem estudar. Estou estudando só agora o que deveria estar estudando ano passado ou até antes; eu não aprendi o Teorema de Pitágoras na escola antes desse ano, EU ESTOU NO SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO. Minhas professoras precisam pulam diversos assuntos por falta de interesse dos alunos e da administração da escola, alguns alunos, muitas vezes, saem das aulas pra cortar grama pra escola. Minha professora de biologia e química sempre me incentivou com os estudos e me auxiliou quando eu tenho dúvidas, mas minha professora de matemática não, ela eu não consigo perdoar baseado somente nisso que eu citei acima. Ela nunca respondeu uma dúvida que eu tive fora da escola, passa conteúdo atrasadíssimo para os alunos, é uma péssima professora em geral, se é que posso chamá-la assim. Ano passado, inclusive, ficamos o ANO LETIVO INTEIRO estudando funções de primeiro e segundo grau; eu lembro que mesmo ela tentando explicar o assunto (e pulando muita coisa importante como demonstrações de fórmulas) eu só observava-a sem entender porra nenhuma, mesmo assim conseguia um desempenho excelente nas provas de algum jeito. Além disso, moro no campo e eu sou o herdeiro da propriedade e tenho o papel social de seguir como fazendeiro na propriedade da minha família, diferente da carreira que desejo seguir. Meus pais inclusive não gostam muito da ideia de que eu saia de casa para estudar, meu pai até me apoia, relutante, porque passou pelo mesmo quando criança, mas cedeu à vontade do pai e deixou de seguir seus sonhos, enquanto minha mãe é abertamente contra e até zomba de mim, usando meu irmão que saiu de casa e não está exatamente sendo bem-sucedido como exemplo.
E isso me leva a diversos e se? Eu olho pro passado e pro presente e chego a conclusão de que eu tenho mais facilidade com os estudos do que a pessoa média. Eu comecei a estudar sozinho e estou progredindo num ritmo muito mais rápido do que eu esperava progredir. Sem querer parecer um babaca, eu não acho que sou um Albert Einstein da vida, mas acredito que eu sou no mínimo notavelmente inteligente. E se eu nunca tivesse sofrido bullying quando criança e me afastado dos estudos por 7 anos? E se eu nunca tivesse tido as diversas brigas com meu irmão e pudesse possivelmente começar a estudar o que eu gostava ainda quando pequeno? E se eu tivesse pais que apoiassem meus estudos sempre? E se eu estudasse numa escola que realmente me preparasse para a vida e em ensinasse de verdade? E se eu tivesse tido todas as oportunidades que tanta gente por aí que detesta os estudos têm?
Caramba, cara. Eu acredito que eu poderia ter sido muito mais, eu poderia ter ido tão longe, quem sabe onde eu poderia chegar se eu não tivesse tido uma infância merda e educação pior ainda? Eu estou estudando todo santo dia religiosamente para tentar compensar o que eu perdi graças à incrível combinação de desgraça que possivelmente arruinou minha vida acadêmica irreparavelmente.
Enfim, esse foi meu desabafo de 9500 caracteres que passei uma hora e meia escrevendo, eu sinceramente duvido que alguém vá ler isso tudo, mas eu precisava escrever isso, obrigado.
submitted by PitchBlackMist to desabafos [link] [comments]


2020.07.15 08:43 lilypedals_ nao sei mais o que fazer

A quarentena esta sendo ruim para todos nós, mas por causa dela eu descobri ter ansiedade, e vire mexe tenho alguns " ataques depressivos". Explicando melhor, eu sou uma pessoa que depende muito dos outros, desde a opinião, até emocionalmente. Nao que muitos saibam, mas no quinto ano principalmente ( detalhe: tenho 12 anos) todos os dias eu me sentia sozinha e isso me corroía por dentro mesmo que eu nao percebesse, eu chegava da escola todos os dia e me trancava por pelo menos meia hora chorando, ate então eu nao entendia o pq. Há alguns meses, para um projeto na escola, a gnt tinha que falar de uma coisa que aconteceu na nossa vida que primeiramente nos achávamos que era ruim, mais se tornou boa. Eu menti, eu falei dessa fase que passei no 5º ano e falei que no final eu encontrei a luz e descobri como ser a luz. Esse projeto me deixou muito mal, e dps disso eu comecei a ficar acordada ate muito tarde chorando. Há uma semana eu fui p a praia para passar o aniversário da minha vó com ela e aproveitei p ficar em um quarto sozinha. Resumindo eu fiquei acordada ate pelo menos 4 da manha todos os dia e chorava por pelo menos uma hora antes de dormir, isso por 8 dias seguidos, e algumas vezes enquanto eu estava tomando banho eu tinha um surto e começava a chorar. Um pouco depois da minha família ter voltado p casa minha irmã me ouve chorando e "reclamando" e vem me confortar. Ela eh minha irmã mais velha e faz de tudo para que eu me sinta confortável e amada. Ela descobriu sobre como eu estava em uma noite em que eu estava muito mal, eu mandei mensagem p ela pedindo socorro e que ela me ajudasse pq eu estava muito mal, oq mais me doeu foi o fato dela ter ignorado essa mensagem, por causa disso eu passei dias chorando achando que ela nao ligava p mim, isso porque de todos na minha família ela eh a q mais amo, eu nao admito isso p ngm pq tenho medo de ferir seus sentimentos mas eu me mataria por ela sem pensar duas vezes, eu estou tentando proteger ela dos nossos pais que, embora nao fazem por querer, fazem comentários extremamente maldosos, e eu realmente nao sei como dizer, mas vire e mexe eles me fazem sentir muito mal, ent eu tendo proteger ela disso. Uma das coisas que mais me machuca é quando meus pais viram p mim e falam p eu para de "puxar o saco " da minha irmã, eu estou tentando proteger ela pq me dói ainda mais pensar que ela possa sentir oq eu sinto, nessas horas eu tenho vontade de chorar ate desidratar e socar qual quer coisa que eu vejo na minha frente. Outra coisa que me irrita é quando eles deduzem coisas sobre mim, por exemplo: uma vez uma música começou a tocar e minha irmã ( foi por brincadeira mas me afetou do mesmo jeito) falou p trocar pq eu ficava louca com essa música, acontece que eu me identificava coma letra, e nesse periodo eu estou tentando nao me sentir sozinha, ent procuro coisas na qual eu possa me identificar com. Minha mãe também tem me tratado com a criança que eu costumava ser, brincando comigo e sendo muito grudenta, nao que eu nao goste da minha mãe, mas eu nao sinto a mesma coisa que eu costumava sentir, agr eu me sinto meio presa, com medo de ser julgada e magoa-la, mas enquanto isso eu tenho me aproximado muito do meu pai, ja que ele, mesmo nao percebendo, esta tentando me entender eme ajudar, procurando saber das músicas que eu gosto, me ajudando e encorajando a escolher hobbies que me façam bem, e principalmente me dando espaço, a coisa que eu mais preciso, espaço. Ele esta me respeitando e tentando melhorar, enquanto minha mae acha que nao tem nada a melhorar e acaba né sufocando. Voltando ao que eu estava falando antes, tb tem um assunto que descobri a pouco tempo e tem me torturado a um tempo ja, a minha orientação sexual, eu posso ser meio nova, mas na minha vida toda so gostei mesmo de um menino to 2º ano, e ano passado, no 6º ano eu " namorei" um menino, as aspas pq dps dele me pedir em namoro e eu aceitar, eu passei 1 hora atras de uma moita chorando por ter sido uma má ideia ( foi em um acampamento ), e por mais que eu tentasse eu nao conseguia gostar dele, antes era legal falar com ele, depois tudo ficou muito tímido e vergonhoso, por nao so parte minha já que desde o 1º dia ele ja falava que me amava, e eu nunca correspondi, eu fui uma péssima namorada, mas aquilo era novo p mim. Resumindo faz tempo que eu não realmente gosto de alguém, e agr eu acho que to gostando de uma amiga minha, mas dentro da minha cabeça tem uma discussão de eu querer atenção e de eu realmente gostar da menina, e ao mesmo tempo questionar minha orientação sexual, ja que para eu achar um garoto bonito eh muito mais raro do que p eu achar uma garota bonita. Graças ao dia em que minha irmã me encontrou chorando eu passei a contar tudo p ela, quando eu estou triste eu vou no quarto dela p ela me acalmar e me ajudar a entender. Ela tb é a única a qual eu contei sobre a minha talvez orientação sexual, e ela me apoia em tudo e esta sempre me encorajando a nao ter medo, mas tb esta tentando me preparar p o mundo afora, e ao mesmo tempo me confortando dizendo que se eu precisar, ela vai estar lá, e ela sempre tá.
Resumindo, eu ja falei com meus pais e eu vou fazer terapia quando a quarentena acabar. Eu ja estou um pouco melhor do que antes, mas nao 100%, eu diria que uns 45%, por ai.
•esse eh um trecho do que eu escrevi em um dos dias em que eu estava mal• ( esta em inglês pq eu me identifico melhor com a língua )
I fell like nobody understand me, even though I know I'm not the only one felling like this. I fell like the world is changing and there's no place I fit in. I already considerate having depression, anxiety, low self esteem, but at least when quarantine is over I'm going to therapy, I think it'll help me, someone that can tell me what to do, someone that now what I'm going through, that will know me as that sad kid, that sad 12 years old girl, that already though about killing herself but didn't do it because of fear, and not even for that she has the courage. It'll be someone that knows me as I truly am, because I'm tired, I'm tired that everyone that sees me or ignore me or see me as the happy kid I used to be, I'm not that girl anymore, I was stupid, stupid for thinking that I would be that happy forever, I was wrong. I cried to sleep the whole week, and now I read that the persons u think before sleeping are or the person u r in love with, or what makes u sad, the problem is that everyday I cry to sleep thinking about my family and my best friends, and that means that probably they are the reason I'm sad, but there's another problem, I'm almost sure I'm in love with my best GIRL friend, and is not a problem that is a girl, at least not at all, but that is that girl, MY BEST FRIEND, the girl that sees me just as her friend. SHE'S STRAIGHT, SHE LIKES ONE OF MY BOY FRIEND'S, and that boy is a boy and he's not me. Life is literally messing so bad with me, just because I wanted to know its like to actually like somebody, that doesn't means that the person should be my girl best friend.
I might have depression, and when quarantine is over I'll do therapy, and I started thinking a lot about something, how my friends will react when they discover this, because I won't tell then, I don't want then to think me as the poor girl who couldn't handle with life, or think that I just want attention, even though I do, I want attention, I just wanted people to notice me, I wanted my best friends to notice that I'm not good, I'm not felling okay. And I try putting this thought away from my head, but he won't leave, he's still there, I think it was better when I thought I had no friends, because at that time at least I wasn't trying to make people notice me. Now I'm always trying to make people notice me, even my friends sometimes forget I exist.
I'm not being myself for a long time now and nobody notice.
I just want to be happy
I've been trough so much, just trying to see the light.
submitted by lilypedals_ to desabafos [link] [comments]


2020.07.14 05:28 Kusanmii_ ...Foi um erro ter me aproximado de você...

Olá Luba,editores,papelões vivos e mortos,gatas e turma que esta a ver,como vcs estão?
Essa é a história de como eu me ferrei ao conhecer um garoto da minha escola,então sentem-se.
O ano era 2017 e eu estava no sétimo ano,estava no recreio e um colega da minha sala me chamou pra conversa e brincarmos de pedra,papel e tesoura junto com alguns guri da outra turma(eu e o meu colega somos do A e os outros do B)Dentre alguns meninos ali no meio tinha esse guri q era primo do meu colega,nos apresentamos e enquanto estavamos brincando acabamos q nos conhecemos e nisso criamos meio que uma "amizade".O tempo foi passando e eu e o guri(vamos chama-lo de Carls)tinhamos até que coisas em comum,mas,sabe aquela brincadeira idiota de menina corre atrás do guri pra bater?Ent,a gente fazia o mesmo,só que ao contrário das outras garotas(q batiam no guri pq gostavam dele)eu batia no Carls pq ele me irritava(ob:eu tinha esse jeito agressivo como forma de proteção,porque sofri muito bullyng até o terceiro ano q foi quando eu fiquei assim)dizia ele que ele era super legal comigo,mas na vdd ele era gado mesmo na época,eu e ele já brigavamos muito e até diziam na época que "vai dar namoro".No ano seguinte minha mente tinha mudado um pouco e lá fui eu pedir desculpas ao Carls(q tinha parado de fala comigo por conta dos belos estragos que eu fiz nele)ele recusou de primeira mas eu entendi,afinal era totalmente compreensível ele não querer me perdoar,dei um tempo pra ele e depois fui pedir desculpas de novo,ele ficou em silêncio mas depois aceitou meu pedido de desculpas,ai vc pensa "Ent foi isso?" mas eu te digo que tem mais merda pela frente,teve um dia em que Carls me pediu em namoro,porém eu recusei afinal não queria namorar,não sei oque deu nele depois disso mas okay,depois do fora quase todas as vezes em que eu ia fala com ele,ou ele me tratava de forma grosseira ou simplesmente me ignorava,como sou uma pessoa que não gosto de insistir muitas vezes,taquei o foda-se pra ele e segui minha vida,depois de umas semanas ignorando ele,em um recreio da vida ele chega em mim com o papo de "oi sumida" eu fiquei sem entender essa ideia de girico dele,mas continuei a conversa como uma pessoa educada(porém sem dar muita importância pro que ele dizia,já que n tinhamos nada e eu n devia dar satisfação pra ele)um tempo depois eu comecei a gosta de um guri da mesma sala que a dele,como de costume n contei pra ninguém mas eu tinha certeza que ele já sabia e de vez em quando ele soltava uns "nossa,@ combina tanto com X" ou ent"@ e X combinam tanto né?"e eu como uma pessoa sensível n falava nada,mas aquilo me magoava,fora as grandes vezes em que eu tava pra baixo(por conta da baixa auto estima,depressão e ansiedade)e quando ele me perguntava oque eu tinha e eu n falava,ele me olhava com cara de cool,teve até um dia em que eu,minha melhor amiga e ele fomos embora(iamos pelo mesmo caminho pra casa)e como de costume eu estava quieta na minha ouvindo música e ele me perguntava o motivo(já q eu tinha a faminha de ser a "lokinha extrovertida da escola" sendo que eu n era assim)foi ent que eu disse:"só to me sentindo meio merda" e ele me responde dizendo:"mas vc é uma merda" aquilo me quebrou na hora,minha amiga percebendo começou a xinga o guri,eu apenas me despedi da minha amiga e fui embora e acreditem,isso me rendeu noites e noites de choro,fora outras vezes em que ele julgava meu gosto musical ou ent falava pra mim quando eu tava triste:"tu n tem que ta triste","você tem que fica feliz","vc n tem motivos pra estar triste"e etc,fora isso tem várias outras vezes em que ele se sentia o gostosão e nhe nhe nhe,ou quando ele dizia:"n entendo pq vc é tão fria comigo" ou ent quando uma pessoa nova chegava no meu grupinho e ele dizia:"oh n seja amiga dela,ela é vacilona" e etc...isso me deixava sempre mau,mas minha melhor amiga sempre tentava me anima.
Esse ano antes de tudo isso acontecer,começamos a parar de conversa(oq eu dei graças a deus)ah,esqueci de fala mais uma coisinha,agreditam que ele teve coragem de me pedir em namoro dnv?
Enfim,é isso...fui babaca nessa história?eu realmente merecia tudo isso?meu psicológico n é um dos melhores,e desde que isso aconteceu ficou pior,mas tento trabalha todo dia pra melhora ele.
É isso,bjs =30
submitted by Kusanmii_ to TurmaFeira [link] [comments]


“Meninas Malvadas”  Uma Noite em Hollywood (2019) - YouTube A NOITE DAS MENINAS 22 TRANSFORMAÇÕES DE CABELO PARA MUDAR A VIDA DAS MENINAS ... A noite na casa das meninas em green nas 1/2 - YouTube 13 Idéias De Penteados Bonitos Para Meninas - YouTube NOITE DAS MENINAS  BOLOFOFOS - YouTube °Noite das Garotas na Quarentena°(Gacha Life) - YouTube Rotina da tarde das meninas - YouTube

100+ Melhores Ideias de Noite das meninas em 2020 noite ...

  1. “Meninas Malvadas” Uma Noite em Hollywood (2019) - YouTube
  2. A NOITE DAS MENINAS
  3. 22 TRANSFORMAÇÕES DE CABELO PARA MUDAR A VIDA DAS MENINAS ...
  4. A noite na casa das meninas em green nas 1/2 - YouTube
  5. 13 Idéias De Penteados Bonitos Para Meninas - YouTube
  6. NOITE DAS MENINAS BOLOFOFOS - YouTube
  7. °Noite das Garotas na Quarentena°(Gacha Life) - YouTube
  8. Rotina da tarde das meninas - YouTube

Spill Your Guts: Harry Styles & Kendall Jenner - Duration: 9:23. The Late Late Show with James Corden Recommended for you Gente desculpa se não der tempo de gravar que essas aula online me persegue Se inscreve e deixa o like por favor Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. LINDOS TRUQUES E TRANSFORMAÇÕES DE CABELO QUE VOCÊ DEVE VER Neste vídeo, mostro alguns truques e transformações incríveis para melhorar a confiança das pesso... NÃO ASSISTA ESSE VÍDEO ainda! Primeiro afaste os móveis, alongue-se, respire fundo e suba o volume! A noite mais divertida de todas está prestes a começar, e... Apresentado no Espetáculo UMA NOITE EM HOLLYWOOD no Teatro Municipal Trianon. Uma produção Agência WR Tríade Studio Coreográfico Produção Audiovisual: Groove... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Subscreve WooHoo: https://bit.ly/2JxbEAj 22 Maneiras Fáceis De Tornar Suas Fotos Do Instagram Virais: https://youtu.be/PSuXLwTUVt0?list=PLiZaXQFOdAtIMOgT2gIB...